Casa Created with Sketch.

Jogos de panelas de todos os tipos

Conheça os materiais e organize o melhor kit para sua cozinha, com peças a partir de R$ 12.

Com a consultoria de especialistas, organizamos dois kits funcionais. No primeiro deles estão os modelos indispensáveis, aqueles que todo mundo precisa ter– mesmo que seja para usar o fogão apenas de vez em quando. O segundo jogo completa a versão básica, acrescentando recursos para quem gosta de se aventurar no mundo da culinária. Antes de escolher os materiais, aprenda qual é o melhor para suas receitas favoritas.

 

Os prós e os contras de cada matéria-prima

 

Revestimento antiaderente: é o campeão em praticidade, já que a comida não gruda, facilitando a limpeza. Mas ainda não existe consenso quanto à sua toxicidade. Já se constatou, por exemplo, que alimentos proteicos (ovos, carne e leite) podem interagir com a película e formar compostos tóxicos. “Enquanto não houver um veredito, evite cozinhar tais ingredientes em panelas antiaderentes”, diz Késia Diego Quintaes, doutora em alimentos e nutrição pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), de São Paulo, e autora do livro tudo sobre panelas (Atlântica Editora). “Também não as indico para pratos de longo cozimento ou que vão ao forno alto. aquecido a mais de 250 ºC, a qualidade do revestimento fica comprometida.”

 

Aço inoxidável: tem o aval dos profissionais da cozinha. “É ótimo para refogados, pois forma uma crostinha saborosa”, atesta Renato Callefi, chef do restaurante Le Manjue, em São Paulo, e autor das receitas publicadas no livro de Késia. Porém, o fundo triplo é fundamental para distribuir o calor. “Nos demais, o fundo aquece bem mais rápido que o corpo da panela, queimando rapidamente o preparo”, esclarece a doutora. Alimentos ricos em enxofre (repolho, cebola, couve-flor e brócolis) ou muito ácidos devem ser evitados: cozidos em utensílios desse material, favorecem a transferência de cromo e níquel para a comida. Para diminuir o risco, antes de usar a peça pela primeira vez, ferva água quatro vezes seguidas.

 

Alumínio: usadas corretamente, as panelas desse material trazem vantagens. “São as melhores para a fritura por imersão – aquela que mergulha o alimento em gordura quente –, pois evitam que o óleo atinja temperatura muito elevada”, atesta a doutora. Escape, no entanto, de ingredientes mais ácidos e de receitas de longo cozimento. “O molho de tomate é um dos mais favoráveis ao desprendimento de alumínio.”

 

Cerâmica: sabe-se que as peças fabricadas até a década de 1970 liberavam metais pesados, como chumbo. Mas as versões modernas são atóxicas e têm bom desempenho em qualquer receita. “São um ótimo investimento”, recomenda o chef. Os poréns: são caras e quebram facilmente.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s