A Itália quer luz

No primeiro dia de Salão do Móvel, nossas editoras conversam com Philippe Starck e fotografaram a cadeira Aguapé, apresentada pelos irmãos Campana

Por Por Cristina Bava e Lúcia Gurovitz Atualizado em 14 set 2018, 10h47 - Publicado em 16 abr 2008, 20h08

Primeiro dia de Salão do Móvel: para quem vem todos os anos à feira, tudo parece mais simples desta vez. A ambientação dos estandes está menos exuberante, reflexo do compasso de espera que a Itália viveu no último ano em função das eleições parlamentares. Bom, não é só no Brasil que tudo pára aguardando a definição do novo governo. Segundo o designer italiano Ferruccio Laviani, que criou o estande da empresa Kartell, a Itália está precisando de luz, por isso ele abusou do amarelo, para criar um clima solar.

Na Kartell, entrevistamos o designer francês Philippe Starck, que declarou ficar cada vez menos tempo em Milão para ver a feira. Ele prefere fazer um giro rápido e voltar para sua fazenda de criação de ostras. Segundo ele, os bichinhos precisam de cuidados.

Os francesas Ronan e Erwan Bourollec e o japonês Tokujin Yoshioka também desenharam novos móveis de plástico para a Kartell.

Na Edra, chamaram a atenção as cores pastel: verde, azul e rosa esmaecidos. Comemorando dez anos de parceria com a empresa, os irmãos Fernando e Humberto Campana foram mais uma vez as estrelas do estande: não paravam de dar entrevistas para apresentar a Aguapé, nova cadeira da dupla, feita de pedaços irregulares de couro e inspirada na planta que tem o poder de purificar a água.

Continua após a publicidade
Publicidade