Casa Created with Sketch.

Tudo o que você precisa saber para montar uma gallery wall

Basta ter uma parede livre, um pouco de criatividade e ler essas dicas que a gente separou

Se você tem uma parede pedindo um quadro ou quer decorar a sua casa, mas tem dúvidas de como fazer, estas dicas vão ser ótimas para você! A arquiteta Júlia Guadix, do escritório Liv’n Arquitetura, deu algumas dicas essenciais para transformar sua parede vazia em uma verdadeira galeria de arte. Confira abaixo!

 (Guilherme Pucci/Casa.com.br)

O primeiro passo é escolher o espaço onde você vai decorar e isso é importante para definir o tamanho e estilo dos quadros que pretende instalar ali. Para escolher qual arte vai para a parede não existe resposta certa, vai de acordo com seu gosto. Sejam coloridas ou de tons neutros, é fundamental que se harmonizem com a decoração do ambiente. Sendo assim, para montar uma gallery wall harmoniosa, a arquiteta aconselha a eleger os quadros que interajam de alguma maneira entre si. “Pode ser pelo tema, pelas cores, pelos traços que reproduzem linhas mais orgânicas ou geométricas, pinceladas mais abstratas ou realistas”, diz.

 (Guilherme Pucci/Casa.com.br)

Se preferir compor com peças em tons mais neutros, se joga! Dá para criar uma galeria muito interessante utilizando uma paleta de cores sóbrias. “Nem tudo é sobre cor! Podemos brincar com o contraste, formas, linhas das obras, trabalhar com molduras com mais ou menos informação, inserir objetos na composição, ou seja, existe um mundo de possibilidades incríveis”, afirma Júlia.

 (Guilherme Pucci/Casa.com.br)

“O mais importante é que os elementos da gallery wall façam referência ao gosto e estilo de quem vive na residência. Além da estética, a elaboração deve também passar boas sensações”, explica a arquiteta. Uma vez que essas duas escolhas foram feitas, você pode combinar molduras, tamanhos, formatos, desenhos e tonalidades e decidir por uma disposição assimétrica ou rigorosamente organizada. 

 (Guilherme Pucci/)

Uma outra dica importante é pensar nos tamanhos. Não há uma regra, mas o ideal é produzir uma organização prévia para que o resultado seja um conjunto agradável aos olhos. A profissional recomenda demarcar a área que será ocupada com os quadros, traçando as linhas dos eixos verticais e horizontais que formam os quatro quadrantes. Depois, é só distribuir os maiores, equilibrando com os menores. “Por exemplo, se de um lado eu dispor um quadro grande, do outro equilibro com versões menores que ao unir possam espelhar uma área semelhante ao maior”, explica.

 (Guilherme Pucci/Casa.com.br)

Depois de eleger as gravuras, cores e os tamanhos da gallery wall, o próximo passo é determinar a distância ideal. Essa resposta dependerá da superfície que será usada, mas, em geral, recomenda-se entre 5 a 15 cm. Se ficarem muito espaçados, a composição pode perder o sentido de conjunto.

 (Guilherme Pucci/Casa.com.br)

Para a disposição das obras, uma dica relevante é posicionar o eixo horizontal do arranjo na altura dos olhos — aproximadamente 1,50 m do piso. Nessa missão, o ponto referencial costuma ser um móvel que fica abaixo, como um sofá, uma cama, um aparador ou até mesmo uma mesa de jantar. “Em geral, uma proporção boa é 2/3 do comprimento desse móvel ou da parede, quando estamos falando de ocupar uma parede inteira de um corredor, por exemplo”, assegura a arquiteta.

 (Guilherme Pucci/Casa.com.br)

As composições permitem inúmeras possibilidades de estruturação. O alinhamento clássico, com os quadros do mesmo tamanho e formato são colocados um ao lado do outro de forma organizada e simétrica. Por outro lado, há a galeria em espiral, com o conjunto montado de maneira circular ou oval. Aqui, é possível brincar com os tamanhos, formatos, cores e até incluir objetos decorativos.

 (Guilherme Pucci/Casa.com.br)

E se você não gosta da ideia de furar as paredes, existe uma alternativa bem interessante: apoiar os quadros nas prateleiras ou estantes. Por ser um modo mais prático e rápido, você pode ficar à vontade para testar as possibilidades sem medo. “Nesse caso, ouse com as alturas e formatos das telas para dar mais dinamismo”, aconselha Júlia.

 (Guilherme Pucci/Casa.com.br)

Com o objetivo de ajudar a visualizar o resultado e dar mais segurança, vale organizar as obras no chão ou em cima da cama. Além disso, a tecnologia é uma aliada importante nesse aspecto. Fazer uma montagem no Photoshop ou em outro software ou aplicativo é um artifício valioso nesse processo. Feito isso, simule a disposição dos elementos na parede usando fita crepe ou papéis recortados. “Lembrem-se de medir a distância entre os ganchos e as extremidades das molduras para pendurar tudo na posição correta”, recomenda Júlia.

 (Guilherme Pucci/Casa.com.br)

Adorou as ideias, mas não sabe onde pôr os quadros? Saiba que toda parede segue a prerrogativa de apoiar obras de arte, fotografias, objetos decorativos e lembranças de viagens. Sala, cozinha, quarto, varanda, corredor, home office e até o lavabo entram nessa lista. “Sempre reforço que para criar uma parede com quadros, fotos ou objetos, basta ter espaço e a intenção de transmitir uma mensagem ou sensação”, finaliza a arquiteta.

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.