Juliana Pippi traz o mar para perto do visitante na CASACOR SC 2019

Em seu ambiente na mostra, localizada em Florianópolis, a arquiteta recria as sensações praianas por meio dos tons, texturas e tramas

Por Yara Guerra Atualizado em 17 fev 2020, 15h49 - Publicado em 19 set 2019, 11h38
Marina Boro/Divulgação

Trazer o mar para perto da gente. Ou melhor, levar a gente para perto do mar – foi essa a ideia que a arquiteta Juliana Pippi inseriu em seu Loft Pra Perto do Mar, na CASACOR Santa Catarina – Florianópolis 2019.

Embalagem para seu corpo e calma para seus dias, o oceano se extende além de mera paisagem para os olhos e se consagrou como parte do que a profissional é. Seu projeto para a mostra catarinense é, assim, uma homenagem ao que lhe lembra de respirar fundo e olhar longe, para frente.

Marina Boro/Divulgação

“Tenho a paisagem do mar constantemente em minha vida e em meus projetos. Costumo dizer que minha arquitetura é somente uma moldura para as paisagens dos projetos que faço. As texturas e cores das dunas, falésias e beira do mar me inspiram”, comenta a profissional.

E assim, inspirada por estes elementos, Juliana projetou um loft de 135 m² totalmente conectados, em que dispôs tons e texturas típicos do universo praiano.

Na cozinha a mesa All White e o frame de granilite são de autoria da arquiteta para o loft. Parede, vigas e pilares são envolvidos por material sustentável (o cimentício é produzido a partir do aproveitamento dos resíduos de pedras naturais). Marina Boro/Divulgação

A cozinha e sala de banho são marcadas por um grande portal arquitetônico revestido por tijolos off-white.

Enquanto isso, toda marcenaria projetada pela arquiteta exibe elementos naturais, pensados para evidenciar a sensação de frescor e leveza – é o caso das portas pivotantes, que delimitam a sala de banho dos demais ambientes do loft. 

Continua após a publicidade

Marina Boro/Divulgação

Já o living, aberto e fluído, revela o jogo de composição idealizado pela arquiteta. Como pura poesia, sombras e sobreposição das tramas são projetadas nas superfícies do ambiente de acordo com a passagem de luz. 

No décor, a arquiteta ainda reservou um espaço à arte: artistas convidados, como Kiolo, Victor Collor e Thomaz Velho, assinam obras exclusivas para o espaço.

Manuscrito”, de Clara Fernandes, e as obras têxteis de Pedro Luis expressam narrativas, enquanto o trabalho precioso dos artesãos da Ilha do Ferro fazem relação com as comunidades ribeirinhas.

Reunindo todas estas escolhas estéticas, a arquiteta trouxe calmaria e leveza ao seu loft e o transformou em uma verdadeira ode ao mar, com seus cores, tramas e texturas.

Confira na galeria abaixo mais fotos do ambiente:

Continua após a publicidade

Publicidade