Studio Passalacqua: ladrilhos e tintas com nuances suaves

Paola Croso e Jejo Conelsen produzem ladrilhos e tintas usando uma sutil composição de nuances e tonalidades

Por Por Joana L. Baracuhy | Fotos Célia Mari Weiss Atualizado em 19 jan 2017, 13h44 - Publicado em 13 jun 2013, 13h20

Só mesmo quem vasculhou os cantinhos mais improváveis da mostra Brasil S/A, na edição 2013 do Salão Internacional do Móvel de Milão, conseguiu encontrar uma obra feita “con il cuore” – com o coração. Essas foram as palavras de um visitante italiano ao descrever a exposição de ladrilhos e tintas de parede em nuances suaves. Assinadas pela consultora cultural Paola Croso e pelo arquiteto, designer e artista multidisciplinar Jejo Cornelsen, as peças de cimento são o mais recente fruto de uma longa trajetória. Jejo já se aventurou em campos como pintura, cenografa, decoração, design de móveis e há dez anos iniciou os experimentos que resultaram na linha para pintura à base de argilas e pigmentos naturais. Essa matéria-prima orgânica colore também os ladrilhos com tons delicados, exclusividade da dupla que forma o Studio Passalacqua.

Publicidade