Piso de madeira descolorido

A madeira continua com tudo. Tem lindos veios, belas tonalidades, além de ser agradável ao toque. Outra de suas vantagens é a versatilidade

Por Redação Atualizado em 20 dez 2016, 23h11 - Publicado em 17 fev 2009, 20h03

Tingida ou clareada, ela transforma a casa – como você confere nas três reformas a seguir

 

Versão loira

Em vez de pau-marfim, o jornalista e arquiteto Pedro Ariel Santana Alves, de São Paulo, elegeu a abiurana para revestir seu apartamento novo. “É parecida, também clarinha, e custa menos”, diz. A JF Assoalhos forneceu e instalou as réguas (que medem de 0,30 a 2,10 m e 9 cm de largura) e ainda iluminou a madeira aplicando água oxigenada e amônia. Quinze dias depois, o piso seco ganhou resina semibrilho (Bona) e rodapés de 20 cm de altura, na cor das paredes. Está procurando por outros tratamentos em piso de madeira? Nós mostramos para você.

Um título para uma foto sem titulo
Continua após a publicidade

Como se fosse ébano

Para a área social deste apartamento em São Paulo, a arquiteta paulista Fernanda Marques escolheu um assoalho de canela-preta, espécie naturalmente negra, escurecida após um processo de ebanização. As réguas de demolição, com largura entre 20 e 40 cm, foram entregues já tingidas e, depois de fixadas, receberam calafetação e cera. “Deixamos o piso homogêneo, todo pretinho”, diz Carolina Botelho, da Brasil Jacarandá, que forneceu e instalou o material.

Um título para uma foto sem titulo

Nuances de cinza

O assoalho novinho agradava o designer de interiores paulista Gilberto Cioni – exceto pelo tom avermelhado da peroba. “Essa madeira é ótima, durável, então busquei uma solução para transformá-la”, conta ele. A Aplicadora Master passou uma tintura cinza sobre as réguas de 20 cm do apartamento todo. Depois, aplicou massa nas emendas e Synteko semibrilho “75% de resina fosca e 25% de brilhante”, indica Gilberto, autor do projeto em parceria com o arquiteto Olegário Sá.

Um título para uma foto sem titulo
Continua após a publicidade

Publicidade