Quebra-cabeça chinês inspira o projeto desta casa

Inspirada no Tangram, quebra-cabeça chinês no qual sete peças formam mais de 1 500 figuras, esta casa em Brasília exibe formas incomuns. Também contorna com eficácia o clima árido do planalto Central e inclui um amplo anexo nos fundos.

Por Eliana Medina e Joana L. Baracuhy Fotos: Luis Gomes Atualizado em 14 dez 2016, 12h47 - Publicado em 21 out 2010, 12h41

Por dois anos, um servidor público radicado em Brasília cultivou a ideia de fazer sua moradia na cidade com a equipe da Domo Arquitetos. Nesse período, fez contas, orçamentos, e concluiu que não poderia construir mais que 350 m². Apreciador de arquitetura moderna e casado com Cláudia, uma descendente de orientais, ele não se intimidou quando o trio apresentou o croqui com formas geométricas, que acomodava engenhosamente todas as exigências do casal, inclusive sala de ginástica e oficina. Em busca de economia (e de mão de obra disponível), concreto armado e alvenaria comum foram adotados na estrutura e nas paredes. Nos 14 meses de obra, o proprietário acompanhou as despesas de perto, sempre com sua planilha nas mãos. Viu surgir vãos e volumes diferentes, que os vizinhos receberam com curiosidade. Mas nada de se abalar. “A ideia não era chamar a atenção. Nós até usamos telha cerâmica na cobertura para, de longe, a casa se misturar ao conjunto”, fala o arquiteto. Confira também uma casa no litoral argentino que lembra uma embarcação.

Publicidade