Organizações pretendem padronizar medição de imóveis no mundo todo

Existe uma série de atenções que se deve tomar antes de comprar imóveis no exterior. Uma delas é a medida das áreas de casas e apartamentos. O novo padrão Internacional de Medição de Propriedades, lançado neste mês, vem para ajudar nisso. 

Por Jéssica Michellin Atualizado em 14 dez 2016, 12h32 - Publicado em 5 dez 2014, 17h01

Ficou mais fácil comprar imóveis fora do Brasil. E isso não tem nada a ver com moeda, desvalorização de imóveis ou crise financeira. Ficou mais fácil porque, agora, existe um padrão internacional de medição de propriedades, adotado por diversos países e assinado por 56 instituições mundiais do setor.  “Cada país, ou até dentro dele há várias maneiras de medir um imóvel. Isto é um problema quando você está falando com um investidor internacional”, explica Márcia Ferrari, Country Manager da Rics, organização internacional que busca facilitar as trocas comerciais do mercado imobiliário. Com o novo padrão, um empresário brasileiro que deseja abrir uma filial na Índia, por exemplo, não terá dúvidas quanto à dimensão do imóvel de IPMS 2 100m², porque a sigla, na frente, significa que essa é a medida do espaço útil e interno do imóvel, sem considerar áreas externas. O novo padrão, International Property Measurement Standard (IPMS), inicialmente, será usado para medições de imóveis comerciais, mas a expectativa é que, no ano que vem, passe a valer para as residências.

“Estou nesse setor há mais de 28 anos e acho importante que se exista esse tipo de artifício para que o cliente não se sinta lesado após uma compra, e vice-versa”, conta  Jerry Sanchez diretor de vendas da Cervera Real Estate, empresa responsável pelo edifício residencial Biscayne Beach. A iniciativa também foi aprovada pelo arquiteto Rafael Aragonés, responsável pelo edifício The Edge on Brickell. “Um padrão internacional de medidas vai diminuir, senão eliminar, os ruídos de comunicação que podem se dar por conta de medidas diferentes, como metros e pés ou jardas, e costumes de um mercado imobiliário e outro. Foram raras as vezes em que vi uma negociação de imóvel com um comprador internacional ser prejudicada pela falta de um padrão, mas com certeza é uma ferramenta muito útil”, destaca.

Caso queira entender todos os pormenores do IPMS, clique neste documento

 

Continua após a publicidade
Publicidade