O anexo do refúgio de campo ficou pronto em dois meses

A vista privilegiada para montanhas cobertas de mata Atlântica fez com que os donos de uma casa de campo em Petrópolis, RJ, planejassem uma segunda construção no local, onde pudessem relaxar, ler, fazer refeições rápidas e receber os amigos.

Por Por Gabriela Varanda Fotos: MCA Estúdio/Denilson Machado Atualizado em 20 dez 2016, 22h33 - Publicado em 9 dez 2010, 17h50

Para posicionar o anexo como um belvedere voltado para a paisagem, o arquiteto Ricardo Serzedello tirou proveito do trecho em declive, no alto do terreno de 15 mil m². “O projeto tem um visual brutalista, favorito dos proprietários, sem perder a leveza”, diz ele, referindo-se à corrente arquitetônica nascida nos anos 50, que apregoava a ideia de deixar aparente a estrutura das edificações. Para conseguir esse efeito, Ricardo modelou o conjunto todo com concreto armado. Sem pilares, parte dele parece flutuar a 3 m de altura. “Criei ainda grandes janelas de vidro para garantir transparência e luminosidade aos interiores”, conta o profissional, que finalizou a obra em seis meses.

Publicidade