Muros baixos e recuo frontal marcam edifício residencial gentil

Previsto para 2017, o prédio traz plantas flexíveis, varanda integrada à sala e brises

Por Texto Jonas Lopes Atualizado em 20 dez 2016, 22h22 - Publicado em 4 fev 2015, 16h12
01-a-cidade-agradece

“Este é um prédio que não grita”, diz o renomado Eduardo de Almeida sobre o projeto residencial paulistano que assina com Cesar Shundi Iwamizu, do escritório SIAA, para a incorporadora Moby. “A construção procura ser tão silenciosa e sossegada como o próprio entorno.” Para estabelecer relação harmoniosa com o bairro, na zona oeste da metrópole, a obra apresenta muros baixos e recuo frontal.

001-a-cidade-agradece
Publicidade