Home office de 20 m2 é feito com estrutura metálica e steel frame

O escritório do fotógrafo Cristiano Mascaro tomou forma sob o olhar igualmente apurado da filha arquiteta, Teresa. Com pouco menos de 20 m2, o anexo emprega estrutura metálica e steel frame – sinônimo de obra limpa e econômica

Por Por Daniela Hirsch (texto) e Mayra Navarro (visual) | Projeto Teresa Mascaro | Fotos Cristiano Mascaro Atualizado em 19 jan 2017, 14h09 - Publicado em 16 jul 2014, 23h40

Arquitetura sempre esteve no DNA da família Mascaro. Essa é a graduação de Cristiano, fotógrafo que, há décadas, registra paisagens urbanas. Nos bancos da faculdade, ele conheceu Satiko, com quem se casou. Ela enveredou para a moda e se tornou estilista. Anos mais tarde, a filha do meio, Teresa, seguiu o caminho dos pais, mas com uma diferença: depois de se formar arquiteta, optou por exercer a profissão. Sob seu comando, a casa dos Mascaros, nos arredores da capital paulista, já passou por algumas mudanças, entre elas, a mais recente – a construção deste home office. “Adoro obra e queria muito um projeto feito do zero pela Teresa, que é muito talentosa”, diz Cristiano, orgulhoso da cria e também do novo cantinho, pronto há pouco mais de um ano.

Ao receber a encomenda, a arquiteta ficou feliz em saber que poderia inovar e não poupou esforços, como você verá a seguir. A ousadia, porém, veio acompanhada de grande sensibilidade, principalmente em relação ao terreno, mantido quase intocado. “A princípio, o formato do anexo seria retangular. No entanto, isso implicaria remover espécies que meus pais haviam plantado anos atrás, como o pau-ferro e a ameixeira. Com o quadrado de 4,30 x 4,30 m, tiramos apenas arbustos e uma pequena árvore”, ela explica. A estrutura possui somente dois pontos de apoio. Executada com vigas e pilares metálicos e fechada com o sistema steel frame, eleva o espaço a 1,55 m do solo. “Isso impede a passagem da umidade. Para manter o ambiente interno ainda mais seco, previ a instalação de ar-condicionado, que também aquece a área em dias frios.”

A empreitada durou sete meses e meio – só não foi mais rápida porque houve um atraso de 60 dias na entrega das telhas. O imprevisto não impediu Cristiano de iniciar 2013 trabalhando ali. “É muito gostoso quando chego para visitar meus pais e vejo, mesmo à noite, a luz do escritório acesa”, conta Teresa. Com esse grau de afeto envolvido, até antigas memórias vieram à tona durante o processo. “Ao fazer a fundação, encontramos parte de um pilar. Aí lembramos que, naquele ponto, existia uma casinha de madeira, onde brincávamos quando crianças”, recorda. Ninguém imaginava que, tanto tempo depois, o refúgio renasceria tão diferente.

 

Corte e talude- 30 dias – R$ 4 mil

 

estrutura-arquitetura-escritorio-estrutura-metalica

Para que os dois pilares de sustentação ficassem com uma altura livre de 1,55 m, elevando a construção do solo, realizou-se um corte manual no terreno inclinado (foi nessa hora que a família descobriu parte da antiga casinha de madeira). Não houve necessidade de muro de contenção. Posteriormente plantadas no talude, espécies arbustivas e rasteiras recompõem esse trecho do jardim.

 

Fundação e estrutura – 45 dias – R$ 32 990

Quatro estacas de 25 cm de diâmetro e 2,50 m de altura descem de um bloco de concreto em H. Além da dupla de pilares de sustentação, quatro vigas e quatro pilares, também de aço, formam os dois anéis estruturais da construção. Distantes 2,20 m entre si, esses últimos abraçam o anexo, ganhando destaque com a cor vermelha.

Telhado (materiais e instalação – 15 dias – R$ 6 115

Com inclinação de 5%, a cobertura emprega telhas termoacústicas de poliuretano (Dânica). Elas foram parafusadas nas barras de aço aparente no interior do ambiente.

Continua após a publicidade

Pisos e paredes (materiais e instalação) – 35 dias – R$11 305

A laje do piso (8 cm) tem duas camadas de placas cimentícias e miolo de madeira laminada (Masterboard, da Brasilit). Nas paredes, sistema Steel Frame: perfis a cada 50 cm fechados com drywall no lado de dentro e placas cimentícias na fachada. Chapas de OSB entre eles dão resistência para fixar prateleiras e quadros na superfície.

Caixilharia e fechaduras – 30 dias – R$ 17 856

O metal se estende da estrutura aos caixilhos, à porta e à passarela de entrada. Nas esquadrias de ferro galvanizado, encaixaram-se vidros e placas de gesso.

Hidráulica e elétrica (materiais e instalação) – 30 dias – R$ 12 927

O encanamento da pia, ao lado da porta de entrada, desce por dentro da parede, envolvido em lã mineral. As luminárias de teto (Reka) seguem a linguagem das ripas metálicas.

Pintura- 25 dias – R$ 5 320

Os anéis estruturais foram pintados de esmalte sintético vermelho. O mesmo produto, porém na versão cinza, cobre os demais perfis metálicos. Os painéis cimentícios também receberam pintura da artcor

 

TOTAL=  R$ 90 513

*este prazo considera a montagem a partir da entrega das telhas, que atrasou 60 dias.

 

 

 

ss

Continua após a publicidade

Publicidade