Condomínio usa pátio central para definir a posição das residências

Ganhador da categoria Condomínios Residenciais em 2013, o projeto Casas AV, do Corsi Hirano Arquitetos, usou o pátio central no terreno de 640 m²

Por Texto Tatiane Domiciano Atualizado em 14 dez 2016, 11h42 - Publicado em 4 out 2014, 18h33
01-condominio-usa-patio-central-para-definir-a-posicao-das-residencias

1. Ponto de encontro. A área comum determinou a implantação das oito unidades de modoque todas recebessem iluminação natural direta em vários momentos do dia. Além disso, é ali que os moradores podem desfrutar de atividades coletivas. “O pátio é versátil: respeita as separações, conecta o conjunto à rua sem prejudicar a privacidade e promove interação entre as famílias vizinhas”, explica o arquiteto Daniel Corsi.

2. Módulos conectados. De 74 m², as casas se articulam em duplas por meio de núcleos que concentram as instalações e escadas. Nesses pontos, painéis envidraçados, posicionados estrategicamente, camuflam a divisão entre os sobrados. Na fachada, o beiral cobre a área que forma as varandas individuais. “A simplicidade construtiva dá identidade ao condomínio”, diz Daniel.

3. Construção inteligente. As moradias têm vigas e pilares de concreto armado, lajes pré-fabricadas, vedações de alvenaria, caixilhos modulares e telhas metálicas. As venezianas superiores garantem a ventilação e são um curinga para amenizar o calor no pavimento de cima. Tal mix de soluções resultou numa obra ágil (durou um ano e meio) e econômica (custou R$ 1,2 mil o m², em 2012).

Continua após a publicidade

Publicidade