Casinha de campo ganhou mais luz e aconchego com a reforma

Esta casinha de campo transformou-se completamente com o uso de materiais da construção original e pedras da região. Precisava mais?

Por Reportagem Ana Weiss (texto) e Mayra Navarro (visual) | Design Manoel Vitorino Jr. | Fotos André Klotz | Ilustração Fabio Flaks Atualizado em 19 jan 2017, 13h53 - Publicado em 9 jan 2013, 19h43

*Matéria publicada em Arquitetura & Construção #309 – Janeiro de 2013

casinha-de-campo-reforma

Cercado de árvores, riachos e fores raras, o antigo refúgio de 101 m2 em Visconde de Mauá, RJ, não primava pelo conforto. Mas os amigos que se reuniam lá tinham um entorno interessante demais para se preocupar com o piso frio do banheiro, os quartos escuros ou a cozinha apertada. “A sala era quase 1 m mais baixa que o restante da casa”, lembra a arquiteta Bela Gebara, uma das frequentadoras do lugar e autora da reforma que elevou a área para 130 m2, com a ampliação da cozinha e a criação de um deck. Além disso, novas janelas e portas envidraçadas oferecem vista para a serra da Mantiqueira. Convidada para comandar a reforma, a arquiteta começou pela cozinha. “As refeições lá são momentos importantes da rotina”, conta ela. Grandes janelas e portas, fechadas com vidro temperado, tornaram os ambientes claros e arejados. Bela Gebara também se preocupou com o reaproveitamento: a velha madeira do piso antigo dos quartos, substituída por tábuas de sucupira, reapareceu na entrada do banheiro, separada por uma grelha de escoamento do porcelanato da área do chuveiro. Os flhos dos donos, hoje crescidos, no princípio foram contra a reforma, pois adoravam se pendurar com cordas nas vigas e balançar no “buraco”, como era chamada a sala de estar. Hoje, aproveitam o conforto e a privacidade, alguns deles acompanhados dos namorados.

*Matéria publicada em Arquitetura & Construção #309 – Janeiro de 2013

 

Continua após a publicidade

Publicidade