Casarão na Bela Vista, em São Paulo, ganha estudo de restauro

Diálogo com a cidade: a revista ARQUITETURA & CONSTRUÇÃO pediu aos arquitetos Alan Chu e Cristiano Kato uma proposta de ocupação do casarão da Bela Vista, do qual surgiu um teatro 

Por Por Danilo Costa Ilustrações: Gabriel Farias Fotos: Djan Chu Atualizado em 20 dez 2016, 18h11 - Publicado em 18 set 2009, 12h21
Um título para uma foto sem titulo

O ator Paulo Goya orgulha-se de ter morado em locais que emanam arquitetura. Já passou por um hotel parisiense da família de Napoleão Bonaparte e por uma casa paulistana assinada pelo arquiteto ucraniano Gregori Warchavchik (1896-1972). Hoje, mora no Casarão do Belvedere, que abriga o Espaço Cultural Dona Julieta Sohn, na Bela Vista, em São Paulo – herança de seus bisavós. O imóvel de 1927, erguido pelo arquiteto Rafael Lanzara, foi tombado pelo município em 2002 e hoje enfrenta os mesmos problemas de outros tesouros da cidade: “Os incentivos fiscais ainda são poucos para motivar a conservação desses bens”, fala a arquiteta Clara Correia d’Alambert, do Departamento do Patrimônio Histórico da Secretaria Municipal de Cultura (DPH). Para mostrar como lugares assim poderiam ser revitalizados, ARQUITETURA & CONSTRUÇÃO pediu aos arquitetos Alan Chu e Cristiano Kato um estudo de ocupação do espaço, do qual surgiu um teatro. Assista também a um vídeo para saber mais sobre projeto elaborado pelos profissionais. E se você ficou com vontade de visitar o casarão, confira a agenda de eventos que acontecem no espaço.

Publicidade