Casa de pedra e adobe traduz a simplicidade do noroeste argentino

A vida acontece no pátio, para onde se voltam todos os ambientes deste rancho

Por Por Mariana Rapoport e Marianne Wenzel (colaborou Julia Von Mylius) | Fotos Daniela Mac Adden/Surpressagencia Atualizado em 20 dez 2016, 17h51 - Publicado em 18 Maio 2009, 08h30

Portas sempre abertas: feita de pedra e adobe, bem assentada no solo ocre do noroeste argentino, esta casa no povoado de Tilcara traduz a simplicidade da região. A vida acontece no pátio, para onde se voltam todos os ambientes.

Um título para uma foto sem titulo

A Quebrada de Humahuaca, onde a Argentina encontra o Chile e a Bolívia, não tem nacionalidade. Declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 2003, é berço de povoados onde as pessoas se identificam simplesmente como andinas. O mesmo vale para a culinária, o artesanato, e, claro, a arquitetura. Nesse rincão árido da América do Sul, pedra e adobe dão forma a casas que da rua mal se veem: longos muros rentes ao passeio delimitam os terrenos, e a entrada se dá por pequenas portas que levam a verdadeiros oásis internos.São casas introspectivas, que respeitam o contexto onde estão situadas”, resume o arquiteto Arturo de Tezanos Pinto, autor desta reforma com o sócio, Carlos Gronda. Perto dali, na província de Salta, outro projeto encantador: a designer Magdalena López Sanabria transformou dois barracões num rancho familiar que recupera a magia das velhas fazendas locais.

Continua após a publicidade

Publicidade