Bela Vista: alto padrão

Considerado um dos bairros mais elegantes da capital, ele concentra empreendimentos luxuosos e oferece, fazendo jus ao seu nome, uma visão panorâmica da cidade

Por Da redação Atualizado em 14 dez 2016, 10h52 - Publicado em 9 jan 2007, 21h14

“Aqui até o ar é diferente”, derrete-se a moradora Margaret Lermen Eidt. Ela se refere à vantajosa localização geográfica do bairro que proporciona ventilação e iluminação privilegiadas. Localizado entre Petrópolis, Rio Branco, Boa Vista e Três Figueiras, na zona norte de Porto Alegre, o local foi alçado a objeto de desejo principalmente após a década de 1990, quando os edifícios de alto padrão passaram a dividir espaço com as amplas residências da região. Em suas ruas arborizadas e simpáticas praças, bem conservadas por seus moradores, a vizinhança se reúne para o tradicional chimarrão de final de tarde ou para a prática de esportes. A Praça Gustavo Lang é um exemplo desse zelo – a variadas espécies de árvores provenientes de todo o mundo recebem cuidados de quem mora por ali, assim como os passarinhos que têm alimentação garantida. O crescimento imobiliário verificado há mais de uma década, fruto da atração que o bairro gera e do último Plano Diretor da Capital, que permite a construção de edifícios elevados estimula a densidade da região, tem transformado o perfil do bairro, antes constituído na sua totalidade por residências. O fato integra a lista das reivindicações da associação de moradores. “A especulação imobiliária reduz nossas áreas verdes, além de trazer outros problemas, como a diminuição da segurança”, afirma Maria Lucia Haas Cardon, presidente da Associação de Moradores dos bairros Bela Vista e Mont’Serrat. A história do Bela Vista está muito ligada ao bairro Petrópolis, um dos mais antigos da cidade, pois trata-se do desmembramento de uma de suas diversas chácaras. Nesse caso, a propriedade da família Santos Neto. Em 1970, as terras da família foram loteadas, tornando o bairro essencialmente horizontal, característica mantida até meados da década de 1990 quando so edifícios passaram a fazer parte da paisagem. Dentro da perspectiva de ampliação viária da cidade, é também nos anos 1990 que a avenida Neuza Brizola passa a ligar a Avenida Nilópolis com a Avenida Protásio Alves, integrando o bairro ainda mais à malha urbana. Pontos positivos

Segurança

Fartura de áreas verdes

Facilidade de acesso

Ponto negativo

Imóveis com preços elevados

Casais com filhos pequenos e adolescentes são atraídos pelas facilidades que o bairro oferece. Por ali, os chefes de família têm renda superior a 34 salários mínimos – sendo que 65% deles possuem curso superior.

Fonte: Censo IBGE 2000

Continua após a publicidade

Publicidade