Casa Created with Sketch.

Apartamento de 46 m² é reformado com economia

Meu apê, sem aperto! A jornalista Daniela Hirsch conta como economizou em sua reforma. Leia o relato da moradora e, depois, confira as fotos na galeria.

Tempo é precioso, principalmente numa cidade como São Paulo. Para reduzir meus deslocamentos e simplificar a vida, decidi, em 2005, morar mais perto do trabalho. Aluguei um apartamento na Vila Madalena, zona oeste. O prédio antigo tinha pouca infraestrutura na área comum – mas isso, em cinco anos, não me fez a menor falta. Nesse período, desvendei o bairro aos poucos, a pé. No ano passado, um imóvel no mesmo edifício foi colocado à venda. Parecia uma ótima oportunidade. Afinal, estava mais do que na hora de viver numa casa com a minha cara. Por que não naquele endereço, um raro cantinho tranquilo do bairro boêmio que me acolheu? Financiei parte do valor e reservei uma quantia para o projeto e a reforma dos 46 m², focada na economia. Eis o resultado, pronto em três meses.

Não imaginava o quanto um projeto alinhado com os meus desejos facilitaria a execução e ajudaria a conter os custos. Chamei o arquiteto Décio Navarro, que, com base em minhas prioridades e de olho no orçamento, manteve a hidráulica original do prédio e apenas adaptou um novo ponto na lavanderia. A marcenaria, desenhada por ele, previu móveis novos, considerando os que eu já tinha e gostaria de manter. Ele ainda sugeriu: “Se você gosta de receber sem formalidade, a parte social pode ser uma sala de estar ampliada, integrada à cozinha. A bancada substitui a mesa de jantar, assim você não desembolsa com móveis e ganha espaço”. Projeto aprovado, decidi gerenciar eu mesma a reforma “também sou engenheira e já havia tocado uma obra antes. Monitorei as equipes indicadas por Décio em duas ou três visitas semanais ao local. Na reta final, as idas eram diárias. Para acompanhar as tarefas dos trabalhadores, pendurei um calendário atrás da porta no qual o empreiteiro preenchia as atividades de cada dia. Isso facilitou o cumprimento do cronograma.

Existem três pontos imprescindíveis para acertar na escolha de um imóvel. Primeiro: você precisa saber o que quer. Aqui, levantei prioridades para não gastar energia em buscas inúteis. Defini o bairro, optei por apartamento em vez de casa, com vista e sem edifícios vizinhos próximos. Depois, calculei quanto poderia pagar, lembrando de separar o dinheiro da reforma antes de dar a entrada. Por fim, planejamento. Assim que encontrei o imóvel, os trâmites para financiá-lo foram ágeis, pois estava com a documentação em ordem e a antiga proprietária também (nisso, dei sorte!). Fiquei na casa dos meus pais durante a obra – um período de muitas idas e vindas, já que eles moram na zona sul. Mas, antes de 2010 começar, já estava instalada em meu novo canto, onde desfruto diariamente da relação com a casa e com o bairro.

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.