Casa Created with Sketch.

Sri Sri Ravi Shankar ensina a viver sem estresse

O indiano Shankar vem ao Brasil e fará palestras no Rio de Janeiro e em São Paulo. Conheça seus programas de paz mundial e seu jeito de rever a vida

bof-guru_01

 (/)

 

Bate-papo com Sri Sri ravi Shankar

 

Nascido em 1956, no sul da Índia, desde muito pequeno Shankar já era reconhecido por suas características excêntricas. Aos 4 anos, surpreendeu os pais ao recitar trechos das escrituras sagradas indianas. Aos 16, graduou-se em ciências físicas. Em 1986, para atender à enorme procura de seguidores em busca de seus ensinamentos e do aprendizado da sudarshan kriya, criou um ashram, localizado em Bangalore, cidade indiana onde reside. O lugar recebe anualmente milhões de devotos do mundo todo e das mais diversas religiões. Surpreende também pela beleza de sua arquitetura, desenhada pelo próprio Sri Sri. Tem a forma de lótus, com vários andares. E é de lá que ele enviou as respostas da entrevista abaixo.

BONS FLUIDOS: Quais caminhos levam à felicidade?

SrI SrI: A felicidade é a nossa verdadeira essência. Você não tem que ir a nenhum lugar procurando por ela ou ser guiado por ela. Com um pouco de meditação e práticas espirituais, você pode ter um sorriso inabalável e nada nem ninguém poderão tirá-lo de você.

 

BF: O senhor acha que as doenças têm causa emocional?

SS: Só o corpo é visível. E tendemos a acreditar apenas no que vemos. Mas a mente é muito maior e muito mais poderosa que o corpo. A ciência ancestral da ayurveda mostra claramente como as doenças se manifestam primeiro na mente e depois de passar por muitos estágios chegam ao corpo. Dessa forma, a ayurveda não espera a doença chegar ao nível do corpo. Ela se propõe a curá-la antes disso.

 

BF: O que o senhor tem a dizer sobre a depressão?

SS: O estresse e a depressão são apenas uma camada fina que cobrem o ilimitado amor e a alegria que a pessoa é. Quando ela aprender um pouquinho sobre si mesma, sua respiração e sua mente, poderá sair da depressão.

 

BF: Qual mensagem o senhor tem para o jovem brasileiro?

SS: Não espere que lhe deem responsabilidades. Assuma-as você mesmo e trabalhe para fazer o mundo melhor.

 

BF: Qual a melhor maneira de colocar desejos em prática?

SS: Tome um passo de cada vez. Se você quer acabar com um hábito – por exemplo, o de fumar –, comece com um compromisso de não fazer isso por uma semana. Depois, vá ampliando o compromisso. Práticas espirituais e meditação também ajudam, pois trazem uma grande força interior.

Calendário do mestre no Brasil

 

K São Paulo

Dia 30 de agosto

Tema: Uma Conversa com o Mestre.

Horário: 20 h.

Valores: a partir de R$ 80.

Local: Clube Círculo Militar.

Endereço: rua Abílio Soares, 1589, Paraíso.

 

 

Dia 31 de agosto

Tema: Mova o Mundo – Seja Protagonista no Futuro do Planeta.

Horário: 20 h.

Valores: a partir de R$ 30.

Local: Clube Sírio-Libanês.

Endereço: rua Ceci, 35 (portão 1), Saúde.

 

 

Dia 1º de setembro

Tema: Medita São Paulo – Juntos pela Paz.

Horário: das 11 às 14 h.

Valor: gratuito.

Local: Parque do Ibirapuera.

Endereço: avenida Pedro Álvares Cabral, 820 (portões 3 ou 10 – entre a marquise e o auditório), Vila Mariana.

 

 

Dia 1º de setembro

Tema: Transformação e Equilíbrio.

Horário: 16 h.

Valores: a partir de R$ 30.

Local: Clube Sírio-Libanês.

Endereço: rua Ceci, 35 (portão 1), Saúde.

 

K Rio de Janeiro

Dia 2 de setembro

Tema: Medita Rio – Juntos pela Paz.

Horário: das 16 às 18 h.

Valor: gratuito.

Local: local a ser definido (mais informações pelo site www.artedeviver.org.br).

Tema: Satsang com o Mestre –Música, Meditação e Sabedoria.

Horário: das 20 às 22 h.

Valor: R$ 50.

Local: Centro Cultural Ação da Cidadania.

Endereço: alameda Barão de Tefé, 75, Saúde.

 

 

Dia 3 de setembro

Tema: Inspiração e Liderança.

Horário: das 12 às 14 h.

Valores: a partir de R$ 50 (estudante paga meia-entrada).

Local: Vivo Rio.

Endereço: avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo.

Ingressos à venda pelo site www.artedeviver.org.br.

Os resultados de quem medita

 

Respete el silencio. Estamos meditando.” Esse é o aviso em espanhol que estampa a porta de ferro em uma das salas da prisão de segurança máxima de Buenos Aires. Lá dentro, um grupo de mais de 30 presos encontra-se sentado no chão, com as pernas cruzadas e a coluna ereta. Olhos fechados, eles respiram profundamente por cerca de uma hora, depois, abrem os olhos, se abraçam e vão ao encontro do dr. Ismael Martini. O advogado de cabelos brancos e olhar terno, que acolhe cada um com carinho, é o responsável por conduzir a turma no processo de meditação desde 2008, ano em que se tornou voluntário do Programa nas Prisões da Fundação Arte de Viver na Argentina. “Sou instrutor do curso de respiração, que já teve a participação de mais de 5 mil detentos. Dois deles, depois que deixaram a cadeia, tornaram-se instrutores”, diz com orgulho.

 

O dr. Ismael e os dois ex-presidiários reforçam o número de voluntariado da Fundação Arte de Viver, que atua há mais de 30 anos em cerca de 160 países realizando especificamente esse tipo de trabalho. De caráter social, educacional e humanitário, a organização internacional sem fins lucrativos foi fundada na Índia, por um mestre indiano, dono de um sorriso inabalável. Sri Sri (Sua Santidade) Ravi Shankar é conhecido no mundo pelo combate ao estresse e à violência e pela luta em prol da paz mundial. Este mês, ele vem ao Brasil pela sexta vez para falar ao público e a líderes governamentais.

 

“Quando as tensões e o estresse são eliminados, o ser humano é capaz de trazer a mente a um estado meditativo e calmo, que proporciona leveza, harmonia e alegria”, disse ele em entrevista exclusiva a BONS FLUIDOS. A forma que o líder humanitário encontrou para atingir esse estado se alicerça em uma técnica de respiração, criada por ele, chamada sudarshan kriya (su = apropriada, correta; darshan = visão; kriya = ação purificadora). Segundo ele, a ligação entre a mente e o corpo é a respiração e cada ritmo respiratório está associado a um estado da mente ou da emoção.

 

A psicóloga Cristina Armelim, de São Paulo, instrutora e coordenadora da fundação no Brasil, onde está presente em 11 estados, diz que a sudarshan kriya se destaca de outras técnicas por estar baseada em diferentes ritmos de respiração. “Isso permite atingir um estado profundo de si mesmo, ultrapassando a mente e o intelecto”, explica. Mas os benefícios não se restringem a aspectos emocionais. O dr. César Deveza, médico pesquisador de técnicas respiratórias do Instituto do Coração da Faculdade de Medicina de São Paulo, acrescenta que a proposta de Sri Sri também atua na eliminação de toxinas físicas. “Aquelas resultantes de estados emocionais alterados e que acarretam aumento do processo de oxidação, envelhecimento precoce e morte ou esclerose celular”, diz ele. Para o diretor administrativo do Centro Universitário do Senac-SP, Esmeraldo de Oliveira, de 39 anos, que fez o curso em 2008, as técnicas de respiração o ajudaram a conquistar mais energia no dia a dia e a manter a calma diante dos problemas. “Eles continuam acontecendo, mas a forma como eu os encaro mudou. Agora tenho paciência e paz para resolvê-los.”

Reabilitação de presos e mudanças na mente

 

Todos os anos, Sri Sri leva suas palavras de sabedoria a mais de 40 países. “Falo sobre a possibilidade de reabilitação dos presos, como mudar a mente e o coração, sobre a sudarshan kriya e até mesmo sobre o vácuo espiritual que os jovens estão enfrentando”, conta.

 

Há décadas os programas da Fundação Arte de Viver passaram a ser implementados no mundo todo, principalmente em áreas de conflito, onde Sri Sri intermedeia diálogos de paz entre facções opostas, visando a coexistência pacífica, como já aconteceu em Kosovo, Sri Lanka, Cachemira e Bihar. “Em um conflito, o diálogo só é significativo quando existe confiança entre as partes. Quando há grande tensão e desconfiança, o diálogo não acontece. E confiança pode ser criada somente em um ambiente sem estresse. Então, a primeira coisa a fazer é chamar a atenção para o estresse nas pessoas.”

 

Os programas são também implantados em populações que vivenciam situações pós-traumáticas, caso de Nova York após o 11 de setembro, das áreas afetadas pelo furacão Katrina nos Estados Unidos e do Haiti depois do terremoto que devastou parte do país em 2010. “Eu perdi minha casa, por isso, moro na rua com meu marido e meus filhos. É tão difícil dormir e é tão estressante”, diz Maila Villard, uma das vítimas do terremoto. Ela participou recentemente de um dos programas de alívio dos traumas da Fundação e já vê a diferença em seu estado emocional. “Quando faço os exercícios de respiração, esqueço que durmo na rua. É como se não houvesse dificuldades em minha vida. Eu sinto a mente clara. Sinto calma.”

 

Muitos desses programas estão presentes também no Brasil, em presídios e comunidades carentes, como em Brasilândia, periferia da capital paulista. A dona de casa e costureira Maria do Carmo Costa da Silva, de 59 anos, é uma das beneficiadas desde que começou a participar do curso Respiração, Água e Som, implementado na região há mais de um ano por voluntários da Fundação. “Eu não dormia, passava as noites em claro. Mas isso mudou depois que comecei a praticar as respirações. Faço todos os dias”, conta ela.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s