Para indiano, banheiros podem ser mais importantes que naves espaciais

No TED, Joe Madiath apresentou como banheiros mudam a vida de indianos (para melhor)

Por Marcel Verrumo Atualizado em 14 dez 2016, 12h35 - Publicado em 27 jan 2015, 11h26

Joe Madiath, indiano fundador da Gram Vikas, cuida dos alimentos depois que eles se tornam algo de que as pessoas não gostam de falar… dejetos. Ou melhor, Joe se dedica ao caminho percorrido pelos dejetos humanos. Na Índia, como comumente acontece em países em desenvolvimento, a falta de saneamento básico é um problema que atinge milhões de pessoas. Segundo Madiath, 70% dos indianos não têm banheiro, o que faz com que a população dos sem-toaletes seja quase 60% da mundial. Sem uma infra-estrutura adequada, muitos dejetos são depositados diretamente em rios e mananciais, contaminando-os e adoecendo quem consome essa água. Ciente do problema, Joe começou a trabalhar em um projeto que buscava incentivar a construção de banheiros – pela própria população – em comunidades rurais. O trabalho já chegou a 1.200 aldeias e fez com que, nessas regiões, o número de infectados por doenças relacionadas à qualidade da água caísse 82%; como menos crianças ficaram doentes, o número de estudantes nas escolas também aumentou. Neste vídeo, gravado em outubro de 2014 no TED Global, realizado pela primeira vez no Rio de Janeiro/Brasil, Madiath defende que: “para a Índia e outros países em desenvolvimento, os exércitos, os armamentos, as empresas de software e as naves espaciais podem não ser tão importantes quanto as torneiras e os vasos sanitários.” Vale a pena assistir ao depoimento e entender melhor como esse cômodo (e esse projeto) estão mudando um país.

Publicidade