Conheça o método de alongamento de Ivaldo Bertazzo

Profundo conhecedor da linguagem corporal, Ivaldo Bertazzo revela como a sua técnica de alongamento e ensina cinco exercícios para manter o corpo sempre forte e desperto.

Por Texto: Keila Bis | Ilustrações: Zé Otávio Atualizado em 14 dez 2016, 11h44 - Publicado em 18 out 2013, 19h15

É tão bonito ver o homem em pé, movendo os braços, criando uma linguagem no espaço.” Essa frase pode parecer simples e até ingênua, mas, quando é dita pelo educador, coreógrafo e bailarino Ivaldo Bertazzo, tudo muda. Ivaldo é um apaixonado não somente pela dança, arte na qual se profissionalizou e ficou conhecido em todo o país, mas também pelos movimentos mais banais do corpo. É por isso que quando fala sobre ele, com um misto de amor e excelência em conhecimento, desperta em quem ouve uma vontade espontânea de dar atenção ao seu próprio físico. “O corpo é um veículo de expressão da individualidade e de comunicação com o ambiente. Se ele é pouco estimulado ou se você tem um conhecimento limitado sobre ele, essa manifestação é prejudicada. Pode-se, por exemplo, demonstrar insegurança ao se deslocar”, explica. Para ele, essa máquina perfeita precisa ter uma prontidão motora para qualquer situação que vá vivenciar, não importa a idade – seja para se agachar ao brincar com uma criança ou conseguir equilíbrio à medida que envelhecemos. “Mas as pessoas vão perdendo essas adaptações e o corpo começa a aprisiona-las. Nos dias de hoje, até mesmo os jovens têm encurtamentos musculares e posturas erradas. Uma das causas disso é passar muito tempo sentado.” Para divulgar seu conhecimento, uma fusão de técnicas adquiridas em mais de 40 anos de pesquisa, Ivaldo criou, em 1976, a Escola do Movimento – Método Ivaldo Bertazzo, em São Paulo, em que objetos simples, como escovas, bolas e bastões são usados para provocar estímulos neurológicos e movimentos conscientes. De jovens a idosos, de advogados a fisioterapeutas e dançarinos, o espaço, localizado numa pequena vila do bairro Perdizes, recebe dezenas de pessoas todos os meses interessadas em ganhar mais consciência corporal. “Há também arte-educadores de diferentes lugares do país. E eu fico muito feliz em recebê-los, pois o meu sonho é levar à escola formal, cada vez mais, esses estímulos psicomotores, como ritmos e sensações de postura, para que os alunos possam suportar as muitas horas de aulas se sentindo bem com o próprio corpo”, conta ele, que dirigiu seu último espetáculo de dança, o Carrossel das Espécies, em 2010, o qual ficou um ano em cartaz. Outra forma que o educador encontrou de divulgar o seu método foi escrevendo livros didáticos. Os títulos já revelam a postura desperta e ativa que ele defende e acredita: Corpo Vivo-Reeducação do Movimento e Cérebro Ativo-Reeducação do Movimento (os dois lançados pela editora Sesc-SP). Este ano, Ivaldo foi presenteado com o documentário A Alma da Gente, de Helena Solberg e David Meyer. O filme mostra o trabalho social que o coreógrafo desenvolveu com jovens do Complexo da Maré – um conjunto de comunidades do Rio de Janeiro. Na primeira parte, o documentário desvenda o universo dos ensaios, em 2002, e a história de vida de alguns dos participantes. Num segundo momento, focado em 2010, exibe-se o rumo que a vida desses jovens tomou com o fim do projeto. “Foi um dos momentos mais importantes da minha vida”, declarou ele, emocionado, na estreia.

A seguir, o mestre da linguagem corporal indicou cinco exercícios eficazes contra o que ele considera o grande problema do corpo humano: “Não ter uma boa distribuição da força muscular entre as paredes anterior (frente) e posterior (costas) do corpo”. Esses movimentos fortalecem essas estruturas, trabalham o equilíbrio e preservam as funções internas dos órgãos. Desfrute e sinta seu corpo conscientemente.

Publicidade