Conheça a kriya ioga

Conheça as diretrizes da técnica kriya ioga, difundida no Ocidente pelo mestre espiritual Paramahansa Yogananda.

Por Raphaela de Campos Mello Atualizado em 20 dez 2016, 18h38 - Publicado em 15 Maio 2013, 19h36

A ciência já deu seu veredito: meditar abranda os efeitos do estresse, afia as funções cerebrais e fortalece a saúde como um todo. Mas, segundo o mestre espiritual indiano Paramahansa Yogananda (1893-1952), esse hábito, quando se converte em compromisso espiritual, pode se tornar um divisor de águas na vida do praticante. Yogananda fundou a Self-Realization Fellowship em 1920, na Califórnia, Estados Unidos, entidade engajada na difusão da kriya ioga, ensinada na Índia por Bhagavan Krishna, cerca de 3100 a.C. “Pelo fato de controlar diretamente a mente por meio das energias vitais, a kriya é a via mais fácil, eficaz e científica de alcançar o Infinito”, escreveu Paramahansa Yogananda no clássico Autobiografia de um Iogue. “O uso mais transformador da meditação é como prática espiritual, caminho para o divino”, reforça Nakulananda, monge há mais de 35 anos, ligado ao templo da Self-Realization Fellowship em Glendale, na Califórnia. A estrada até Deus é, segundo essa vertente, mais acessível do que supomos.

01-conheca-a-kriya-ioga-meditação

De acordo com Nakulananda, nossa atenção está constantemente dispersa em face das atividades incansavelmente executadas pelo corpo e pela mente, além dos estímulos disparados pelo mundo material. Com isso, não detectamos a presença do sagrado no cotidiano. “Com a prática regular de foco e interiorização da força vital e da consciência por meio da meditação, começamos a sentir a presença de Deus em nós”, garante ele. O legado de Yogananda pavimentou o caminho espiritual da executiva Jeane Pen, de São Paulo. “Sinto alegria e paz indescritíveis, além de maior concentração e perspectiva. Passei a conferir à realidade sua devida proporção”, diz. A intuição também se refina, segundo a inglesa Judy Souza, devota há muitos anos, radicada na capital paulista. “Respostas e soluções aparecem mais facilmente”, fala. Já a professora de hatha ioga Elma Martins, de São Paulo, destaca o despertar da compaixão. “Se alguém faz algo que me magoa, não sinto raiva, poisaprendi a compreender e a amar. Isso é transformador”, revela.

Qualquer pessoa pode solicitar à matriz da SRF, em Los Angeles, as lições progressivas de meditação preconizadas pela kriya. Para tanto, terá de aceitar o termo de confidencialidade, medida que, de acordo com a entidade, assegura a preservação da pureza dos ensinamentos. Ao término de um ano de estudo e prática regular das técnicas, os estudantesque preencherem os requisitos necessários poderão oficialmente iniciar na tradição. Mas, para quem está iniciando na prática, recomenda-se o procedimento básico. Também é possível exercitar a meditação sem se filiar à organização. Quem quiser pode se juntar aos grupos da SRF espalhados pelo Brasil. Nesses encontros, a interiorização é intercalada a cânticos – kirtan –, leituras de escritos deixados por Yogananda e mesmo da Bíblia, além de preces de cura.

Técnica da Self-Realization Fellowship

 

• Sente-se com a coluna ereta e de olhos fechados. Direcione a atenção para o ponto entre as sobrancelhas – centro da consciência mais elevada.

• Converse com Deus na linguagem de sua alma.

• Se possível, procure meditar duas vezes ao dia: logo após o despertar e antes do adormecer. O ideal são 40 minutos de silêncio e devoção – ou ao menos dez.

Continua após a publicidade

Publicidade