Como praticar ioga a dois

O mestre de ioga Xan Paul e sua mulher, a massagista ayurvédica Marina, falam dos benefícios físicos e emocionais da prática com um parceiro e ensinam algumas posturas.

Por Texto Marina e Xan Paul | Design Luiz Silviano | Fotos Célia Mari Weiss Atualizado em 14 dez 2016, 11h41 - Publicado em 19 set 2012, 20h37

Quem é de São Paulo poderá praticar Yoga em dupla neste fim de semana (9 e 10 de fevereiro) no parque do Ibirapuera. Aproveite o ar fresco, sensações renovadas e corpo relaxado e em sintonia com o outro! Não é preciso levar companheiro.

Informações sobre a prática:

Ponto de encontro: Portão 6 do Parque Ibirapuera às 14h

Organização: Professora Paula — tel. (11) 98282-9802 ou pahayashi@gmail.com

f-como-praticar-ioga-a-dois

A ioga clássica é uma prática individual cujas melhores experiências acontecem quando conseguimos ficar livres das influências do mundo exterior e ligados ao supremo. Mas esse caminho não tem que ser trilhado sem companhia o tempo todo. O termo sânscrito yuj, de onde vem a palavra ioga, pode ser traduzido como unir. Com certeza, a prática a dois pode fazer um relacionamento ficar ainda mais acolhedor. As posturas, também chamadas asanas, não precisam ser complicadas. O importante é conciliar a própria consciência corporal com a atenção ao parceiro. A ideia é ajustar os doiscorpos para que ambos se beneficiem da parceria e se aprofundem nos exercícios, indo além do que conseguiriam sem uma ajudazinha extra. Resumindo, cada pessoa se concentra em sua postura e ao mesmo tempo oferece apoio à outra. Fazer ioga a dois – com o companheiro, um amigo, o filho – traz benefícios físicos e emocionais. Cada asana é uma aventura, um processo de amor que se compartilha entre alongamentos, risos, gemidos, cócegas e momentos inesquecíveis. Uma oportunidade de fazer coisas que você não conseguiria sozinho e construir um ambiente de segurança, comunicação e intimidade com alguém especial.

Continua após a publicidade

Publicidade