Casa Created with Sketch.

São Paulo recebe 1ª edição do NaLata Festival Internacional de Arte Urbana

Serão 15 artistas nacionais e internacionais no maior museu brasileiro de grafite a céu aberto, em Pinheiros

 (divulgação/Casa.com.br)

Quem passar pelos arredores do Largo da Batata, em Pinheiros, São Paulo, depois do dia 20 de agosto vai se deparar com uma paisagem mais colorida. Isso porque a cidade, que é reconhecida como a capital mundial do grafite, vai receber a primeira edição do NaLata Festival Internacional de Arte Urbana. Serão 15 artistas consagrados internacional e internacionalmente, que vão criar 12 obras de arte urbana pintadas em empenas da região do largo. Ao todo, serão 3689 m² de arte que vão compor o maior museu brasileiro de grafite a céu aberto. 

 (divulgação/Casa.com.br)

Uma das características mais interessantes deste evento é que ele promove um movimento democrático de arte urbana em São Paulo porque as obras terão acesso irrestrito. Estão lá na paisagem de todos os dias. Quem estiver em ônibus, carros ou andando a pé vai poder apreciá-las gratuitamente.

O NaLata conta com realização da agência InHaus e curadoria de Luan Cardoso. “As paredes têm sua própria identidade, contam suas histórias. O corredor cultural promovido pelo NaLata, com suas empenas e murais, é a oportunidade de estar conectado com a forte presença da arte urbana, desenvolver novos negócios, fortalecer o turismo e admirar a cidade por este outro ângulo”, afirma Juliano Libman, sócio da agência InHaus.

 (divulgação/Casa.com.br)

Entre os artistas brasileiros, estarão presentes obras de Alex Senna, Enivo, Evol, Marcelo Eco, Mari Mats, Mateus Bailon, Pri Barbosa e Rafael Sliks. E o evento, ainda, vai ter a participação da muralista colombiana Gleo, que usa tinta látex, pincéis e rolos de pintura para criar personagens imaginativos e vibrantes, e da muralista mexicana Paola Delfín, uma das artistas mais reconhecidas, que tem como objetivo em suas obras criar consciência social.

 (divulgação/Casa.com.br)

Por causa do isolamento social, o festival no formato físico foi adiado para 2021. Mas, a adaptação veio em forma de difundir a arte pelas ruas apesar da pandemia, trazendo mais vida à cidade nessa volta, que vem acontecendo aos poucos. “A arte tem o poder de transformar a vida das pessoas e o nosso objetivo é trazer um pouco de esperança e cores com essas pinturas, depois de tantos momentos difíceis que passamos coletivamente. E poder contar com a participação de grandes artistas nesse momento é essencial.”, conclui Luan.

Onde estarão as obras a partir do dia 20 de agosto:

– Rua dos Pinheiros, 1474. Artistas: Mateus Bailon, Paola Delfin, Gleo e Pri Barbosa
– Av Faria Lima, 1134. Artistas: Selon e Marcelo Eco
– Rua Artur de Azevedo, 985. Artistas: Alex Senna e Selon
– Rua Capitão Prudente, 151. Artista: Mari Mats
– Rua Campo Alegre, 60. Artista: Enivo
– Rua Dos Pinheiros 2767. Artista: Thiago Nevs
– Largo da Batata (metrô). Artistas: Sliks e Evol

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s