Casa Created with Sketch.

São Paulo ganha mais um ponto cultural, o Instituto Artium

Espaço cultural localizado no Higienópolis ocupa palacete histórico e apresenta-se ao público com exposição coletiva de artistas contemporâneos nacionais

 (Atrium/Casa.com.br)

O Instituto Artium, entidade cultural sem fins lucrativos, fundada em 2019, abre as portas para o público em agosto de 2021 com exposição coletiva inédita intitulada “Semana de 21”. Com curadoria do também artista plástico e fotógrafo Alberto Simon.

Exposição “Semana de 21”

 

 (Atrium/Casa.com.br)

Na mostra “Semana de 21”, as obras não pretendem “dialogar” com o espaço, mas evidenciar o contraste que representam os 100 anos desde sua construção até sua reabertura como Instituto Artium.

 (Atrium/Casa.com.br)

A exposição é guiada por uma produção atual de artistas de diversas gerações que fazem uso de diferentes suportes e promovem uma reflexão do momento atual e do retorno à normalidade em um mundo pós pandêmico.

 (Atrium/Casa.com.br)

“A Semana de 21 é uma exposição que celebra a diversidade de linguagens e mídias, sem uma proposta de coesão visual ou de conteúdo, que representa a enorme complexidade do mundo atual por meio de obras de 18 artistas.” Afirma Alberto Simon, curador da exposição.

 (Atrium/Casa.com.br)

O espaço expositivo é organizado em duas salas internas e um jardim externo. A exposição tem início em 10 de agosto e encerra em 24 de outubro de 2021. Com acesso gratuito ao público, o espaço está com a capacidade reduzida seguindo as orientações do governo estadual em relação à pandemia de Covid-19.

 (Atrium/Casa.com.br)

“A Comgás nos últimos anos vem atuando no fomento à cultura, esporte e inclusão. Apoiar a exposição ‘Semana de 21’ representa o nosso compromisso de transformar a vida das pessoas por meio do acesso à cultura e a história”, destaca Mariana Abuzaid, gerente de Comunicação Institucional e Sustentabilidade da Comgás.

Veja também

História do Palacete Stahl

 

 (Atrium/Casa.com.br)

O Palacete Stahl, de arquitetura eclética, foi construído no estilo Luís XVI modernizado entre 1920 e 1921. Ele recebe esse nome, porque a princípio o objetivo era hospedar a primeira representação diplomática da coroa da Suécia em São Paulo e servir de residência ao cônsul, o Comendador Gustav Stahl, mas ao longo da história teve alguns donos, incluindo o império japonês!

 (Atrium/Casa.com.br)

Isso aconteceu em 1940, quando o Império do Japão comprou o palacete para servir como território consular e hospedar seu Cônsul-Geral. Com as idas e vindas que afetaram a diplomacia entre o Brasil e o Japão, em 1980 iniciou um período marcado por décadas de severa deterioração.

 (Atrium/Casa.com.br)

Até que em 2005, pelo Conpresp, o Palacete Stahl foi reconhecido como patrimônio histórico. E em 2009 foram iniciadas obras para restabelecer a habitabilidade do Palacete, após mudar de proprietário dois anos antes.

 (Atrium/Casa.com.br)

Desde janeiro de 2020, o Instituto Artium iniciou a transferência de sua sede para o imóvel e passou a cumprir a determinação do Conpresp de restaurar sua fachada, que remete ao limestone francês, característico das construções da época. Além disto, são restauradas algumas características ornamentais e decorativas internas, originais de sua construção.

Veja também
Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.