Sala de banho tem ripas de cumaru e pedaços de granito

Projeto trouxe sintonia entre a geometria e os materiais naturais

Por Elena Caldini (texto) | Lara Muniz (texto) Atualizado em 9 set 2021, 13h40 - Publicado em 3 jan 2017, 17h00

As mais diferentes escalas já foram contempladas pelo trabalho do arquiteto Otto Felix. No começo, fez casas; hoje, já assina um condomínio horizontal. Paulista de Mirassol que mora em Campinas desde a infância, ele complementou a formação em arquitetura com um MBA em marketing e uma especialização em empreendedorismo nos Estados Unidos.

Desde então, o jovem profissional passou a tomar a arquitetura como forma de comunicação. “Um projeto bem executado deixa claro qual é a história por trás do espaço. No caso residencial, o morador reconhece sua própria identidade; no comercial, ajuda a construir uma imagem da marca”, avalia. A presença da geometria e a sintonia com os materiais naturais são recorrentes em seu trabalho, a exemplo da sala de banho exibida aqui que usa a madeira para criar um ponto de fuga pra o olhar.

1. O encontro entre os pedaços de granito se destacam com suavidade graças ao rejunte no tom próximo ao da pedra, feito com a mesma massa da instalação.

2. Para obter este efeito de moldura, a pedra foi recortada com o acabamento do tipo meia esquadria.

3. Feito de ferro, o caixilho ganhou tinta esmalte na cor preta e a companhia de uma lâmina de vidro temperado.

4. Ripas de cumaru criam um deck removível que sai facilmente para a limpeza. Repare que o material se repete no teto, acima das duchas.

5. Diferentes larguras entre réguas adicionam mais uma textura ao caixote ao redor do boxe.

 

Continua após a publicidade

Publicidade