Reforma ousada integrou e modernizou apartamento de 78 m²

Derrubar paredes e abrir mão de um quarto foi o início da jornada da ampla reforma. A obra deu trabalho, mas o espaço ficou perfeito para o gosto da família

Por Cristiane Teixeira Atualizado em 9 set 2021, 11h01 - Publicado em 10 Maio 2018, 11h21

A festa de inauguração, para 30 pessoas, pôs à prova todas as escolhas feitas em parceria com o arquiteto Marcos Caldeira, do MM18 Arquitetura – e a reforma foi aprovada com louvor. “Nós gostamos de receber bastante gente e já fazíamos isso mesmo quando a sala era menor e a cozinha fechada”, conta a empresária  de comunicação Lívia Pretti, de São Paulo.

Cacá Bratke/Divulgação

Tornar o velho e desajeitado apartamento de 78 m² mais moderno e confortável para as reuniões entre amigos motivou a moça e o marido, o designer de games Said Wasiq, a encarar uma obra que deveria durar três meses, porém se alongou por outros seis. Sim, apenas depois de nove meses de quebradeira, visitas a lojas, muita refação e desgastantes discussões com prestadores de serviço, o casal finalmente viu seu apartamento transformado naquilo que planejara em cada detalhe, da remodelação da planta e integração de ambientes às firulas dos acabamentos.

Campoy Estúdio/Divulgação

“Eles trouxeram várias ideias para o projeto e demonstraram um cuidado com o design que talvez não seja valorizado por um futuro proprietário”, diz Marcos Caldeira. “Mas eles estavam determinados a fazer tudo com o máximo capricho.” Tão determinados que nem o anúncio dos primeiros dissabores com o sonhado piso de madeira os fez recuar dos planos. “Como a cozinha é aberta, os clientes resolveram assentar o porcelanato no mesmo padrão espinha de peixe dos tacos da sala, o que nos obrigou a cortar as placas”, explica Marcos.

Continua após a publicidade

Essa decisão, por si só, elevou a complexidade da colocação, mas ela aumentou exponencialmente quando o casal quis embutir peças de porcelanato entre as de sucupira. “A gente achou importante ter uns pingos de cinza em meio à madeira e esses pingos irem aumentando até tudo virar porcelanato”, conta Lívia.

Cacá Bratke/Divulgação

O problema é que esses materiais têm espessuras diferentes. Por isso, foi necessário refazer a instalação algumas vezes até que os colocadores conseguissem calçar corretamente os trechos de porcelanato e nivelá-los com o restante, segundo a moradora. “Se soubéssemos que seria tão difícil, teríamos feito algo mais simples”, afirma.

Transtornos à parte, a satisfação com o resultado é total. “Menos de um ano após a reforma, tivemos nossa primeira filha, a Sofie, e, logo depois, a Nina. Em poucos anos, este apartamento será pequeno para nossa família, mas ainda queremos aproveitá-lo muito antes de sair.”

Veja todas as fotos do projeto na galeria abaixo:

Continua após a publicidade

Publicidade