Pura leveza: madeira e vidro estruturam casa na praia

Escondido numa porção de mata Atlântica no litoral de São Paulo, este refúgio de 153 m² assegura um convívio gentil entre os moradores e a natureza ao redor

Por Deborah Apsan (visual) e Denise Gustavsen (texto) Atualizado em 9 set 2021, 12h40 - Publicado em 2 ago 2017, 18h09

“Como uma mariposa que deseja ficar escondidinha na mata, a casa pousou delicadamente no terreno”, graceja Silvio Sant’Annaautor deste projeto com Ana Vidal.

Feita de vidro e itaúba certifcada (Zanchet Madeiras), a casa se mistura ao verde intacto à sua volta. O traçado em curva da cobertura reforça a leveza do desenho Em balanço, a varanda emprega deck de ipê. Divulgação/Eduardo Pozella

Essa capacidade singular de mimetizar a vegetação e torná-la invisível a quem passa na rua vem da leveza dos materiais. Apesar de seus 153 metros quadrados, a morada pesa menos de 2 toneladas – o equivalente a 10% de uma construção similar de alvenaria.

Deixada à vista, a estrutura de itaúba compõe um desenho forte na morada. Divulgação/Eduardo Pozella

Os arquitetos investiram numa estrutura de madeira fechada por vidraças também para não sobrecarregar o lote íngreme e correr risco de deslizamentos. E cuidaram da preservação da mata nativa, a fim de deixar as raízes das árvores segurando o solo, o que também previne desmoronamentos.

Os generosos painéis de vidro laminado (8 mm) garantem muita luz natural e a vista panorâmica da praia e das ilhas próximas. Divulgação/Eduardo Pozella

Por trás dessa conquista hábil do território estava o desejo de integrar a residência ao verde. Apoiada sobre 11 colunas, ela mal toca o chão e ocupa apenas um décimo da área total do lote, de 900 metros quadrados.

Continua após a publicidade

Publicidade