Móvel multiúso transforma apartamento sempre que necessário

Flexibilidade é ordem no projeto desta morada de 70 m² em São Paulo

Por Silvia Gomez (texto) e Mayra Navarro (visual) Atualizado em 9 set 2021, 12h47 - Publicado em 27 jun 2017, 17h22

As soluções híbridas são uma resposta contemporânea às metragens cada vez mais reduzidas. “Nesses casos, o projeto funciona melhor quando coloca o usuário como protagonista, sem engessar o dia a dia”, afirma o arquiteto Thiago Vita, autor da obra ao lado de Davi Eustachio e Pedro Coltro, sócios no escritório MARCOZERO Estudio. Aqui, é o móvel grande entre sala e quarto a peça-chave da morada.

Duas prateleiras abertas dão conta do bar do proprietário, que mora sozinho. O piso de cimento queimado e o teto de concreto aparente são originais do imóvel. Pedro Napolitano Prata/Pedro Napolitano Prata

“O apartamento foi entregue com a planta livre, sem paredes, e tiramos partido disso, assim como dos acabamentos aparentes, caso do concreto. Os dois armários constroem o espaço, ora o dividindo ora o integrando.”

As portas maiores encerram as roupas no lado normalmente voltado para a cama. Pedro Napolitano Prata/Pedro Napolitano Prata

Além de roupas e sapatos, um deles também abriga um bar para o modo festa, quando tudo fica aberto. “Usamos nas peças rodízios com rodas de silicone mais grossas para facilitar o manuseio.”

O volume de alvenaria do banheiro separa a cozinha, à esquerda. Luminárias da Reka. Pedro Napolitano Prata/Pedro Napolitano Prata

 

O móvel grande ora integra, ora separa os ambientes da casa. Pedro Napolitano Prata/Pedro Napolitano Prata

 

Continua após a publicidade

Publicidade