Com 33 mil m², a sede paulistana do Mercado Livre tem grandes espaços abertos e até jardim

O projeto é assinado pelo escritório brasileiro Athié + Wohnrath em parceria com o argentino Estudio El

Por Da redação Atualizado em 9 set 2021, 13h27 - Publicado em 4 fev 2017, 11h04

Inspirado nas grandes empresas do Vale do Silício norte-americano, o novo escritório do Mercado Livre impressiona pela grandiosidade da obra.  Com 17 mil m² de área construída, o ponto de partida das arquitetas argentinas Paula Elia e Milagros Irastorza – que também desenharam a sede portenha da companhia – foi a ideia de desenvolver uma espécie de campus, mantendo o esqueleto e o estilo da construção anterior. “Quando visitamos a área nos pareceu fundamental recuperar todos os galpões e conservar o espirito do lugar, com uma impressão de fábrica”, contam.

Para facilitar a dinâmica de trabalho interna, foram priorizados espaços funcionais e simples, com elementos visuais que identificassem espaços comuns e salas de reunião. “Usamos cobogós nas áreas de café e salas informais, por exemplo, e trabalhamos com artistas brasileiros que criaram painéis gigantes nas paredes de determinados espaços”, explica Paula.

Continua após a publicidade

O piso dos galpões é de pedra, material neutro e resistente. Já as estruturas e os mezaninos são de ferro negro. Uma intervenção também foi necessária no acesso ao galpão principal: os módulos no concreto existente foram substituídos por vidros. Outro destaque foi a criação de um auditório, que não fazia parte do projeto original.

Batizada Melicidade, a sede da empresa conta também com espaços descontraídos para momentos de lazer, entre eles um mini-shopping, cafés, uma sala de massagem e área externa com espreguiçadeiras e redes. 

Confira mais fotos do projeto na galeria a seguir:

Continua após a publicidade

Publicidade