Biblioteca brasileira concorre a prêmio de melhor do mundo

O espaço foi erguido onde antes ficava um deposito de lixo a céu aberto

Por Redação Atualizado em 9 set 2021, 10h26 - Publicado em 17 jul 2018, 16h24

Concorrendo com espaços da Noruega, Holanda, Estados Unidos e Cingapura, a Biblioteca Parque Villa-Lobos, na zona Oeste de São Paulo, é uma das finalistas do prêmio de melhor biblioteca pública da Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias (IFLA), a mais importante da área.

BVL/Reprodução

 

BVL/Reprodução

O espaço foi erguido em um antigo lixão e a revitalização do local iniciou um espaço de leitura gratuito e de livre acesso, nos moldes da Biblioteca de São Paulo, que fica no parque da Juventude.

Este ano, a IFLA, que é parceira da Unesco, recebeu 35 candidaturas de 19 países. O vencedor será apresentado na reunião anual da IFLA em 28 de agosto, em cerimônia em Kuala Lampur, na Malásia. O prêmio é de 5 mil dólares (cerca de 19,4 mil reais).

BVL/Reprodução
Continua após a publicidade

Os critérios de premiação englobam a interação com o entorno, serviços e atividades disponíveis, oportunidades de ensino para a população e uso inovador. A BLV (Biblioteca Villa-Lobos) foi inaugurada em 2013 e ocupa um pavilhão de concreto de pé-direito duplo, projetado pelo arquiteto Décio Tozzi. O projeto de interiores é de Marcelo Aflalo, e partiu do principio de que o espaço deveria integrar atividades com a leitura, evidenciando o caráter multidisciplinar.

BVL/Reprodução

 

BVL/Reprodução

Não é preciso carteirinha para acessar a biblioteca, e os livros de todos os gêneros e para todas as idades que podem ser lidos no local. Inclusiva, a biblioteca conta com aparelhos que transformam os livros em áudio-livros para deficientes visuais, além de livros falados (obras com falas interpretadas), livros em braile e um virador automático de páginas.

BVL/Reprodução

Via: Archdaily

Continua após a publicidade

Publicidade