Arquitetura colorida

Da roupa ao telhado da casa, ela enche o mundo de energia

Por Liège Copstein Atualizado em 9 set 2021, 14h14 - Publicado em 9 set 2015, 21h30

“Por que o céu é azul?”, perguntou o americano Frank Gehry, quando garoto, a seu avô. Anos depois, o típico questionamento infantil do menino transformou-se numa das principais interrogações propostas pelo premiado arquiteto que ele virou. Assim tem sido ao se pensar o design: no equilíbrio entre forma e função, a cor entra com seu aporte, muitas vezes nada sutil. Usá-la com sabedoria é uma arte, como mostram os tons do modernismo brasileiro resgatados sem medo por Roberto Mícoli no biombo ou na vibração do roxo e do vermelho incorporados à nova geração dos tradicionais móveis Thonet. Sinais de que brincar com a aquarela está ao alcance de todos, mesmo que não seja possível mudar o azul do céu.

Publicidade