Apê se transforma quando chegam as visitas

Todo aberto, o projeto de reforma deste apartamento de 80 m² em São Paulo atendeu perfeitamente ao dia a dia do jovem casal sem filhos. Mas, quando os amigos e a família vêm, cada canto pode mudar para receber

Por Por Deborah Apsan (visual) e Silvia Gomez (texto) | Projeto Sub Estúdio Atualizado em 9 set 2021, 13h59 - Publicado em 11 jul 2016, 20h50

É tudo novo, não sobrou quase nada: na reforma do apartamento paulistano de 80 m², caíram todas as paredes que podiam ser retiradas, sem papel de sustentação. Dos acabamentos, apenas a superfície bruta do cimento agora se revela no teto e nas paredes, expondo a estrutura original do prédio dos anos 70. “Tentamos manter o piso de madeira, mas logo percebemos que ele não aguentaria mais um restauro. No final, não aproveitamos muita coisa”, conta Isabel Nassif, uma das arquitetas do escritório Sub Estúdio, autor da obra. 

Inexpressiva e dividida, a planta ganhou abordagem completamente nova, calcada na integração de espaços – no dia a dia, até o quarto do casal permanece aberto. O segundo dormitório, contíguo, assumiu a função de closet, delimitado por um grande armário de madeira do piso ao teto. Aparentemente comum, esse elemento se mostra essencial no jogo inteligente de funções elaborado para o jovem casal. “Os dois são de Porto Alegre e, de vez em quando, recebem a família. Era importante então inventar uma solução reversível para esses momentos”, afirma a arquiteta Renata Pedrosa, também do Sub Estúdio. Quando há visitas, um colchão desliza pela frente da cama da suíte e se instala no closet, que, por sua vez, vira um segundo quarto com as portas de vidro fechadas. Privacidade? Basta puxar as cortinas do tipo blecaute e correr os dois painéis de madeira recolhidos na lateral dos gaveteiros, um pouco à frente. O banheiro único passa a ser acessado somente pelo corredor (há uma entrada pelo cômodo do casal) e a cena se completa, instaurando a dinâmica compartilhada.

Graças a essa marcenaria tão calculada, não há lugar para bagunça nem excessos, o que deixa emergir o estilo do projeto, entre o retrô e o industrial, no qual esquadrias de ferro e louças de demolição convivem com concreto e canos à mostra. Sim, tudo novo, mas com leve perfume antigo.

Continua após a publicidade

Publicidade