A cozinha é o coração desta morada

Quase totalmente integrado, o apartamento em São Paulo colocou a área de refeições no centro do dia a dia

Por Por Deborah Apsan (visual) e Silvia Gomez (texto) Atualizado em 9 set 2021, 13h08 - Publicado em 6 abr 2017, 18h41

A principal meta da reforma comandada pelo escritório Cat Arq, dos arquitetos Fabio Frutuoso e Camila Toledo, era ampliar a ala social do imóvel dos anos 60, integração que gerasse um espaço único e híbrido, distante da excessiva e determinante compartimentação original. 

“Trocamos os três quartos por um único. Ao derrubar tantas paredes, conseguimos mais luz natural e uma circulação organizada em torno desse grande núcleo principal, com 43 m²”, explica Fabio. 

As alvenarias divisórias vieram abaixo, revelando vigas como esta da cozinha, de 90 cm de altura, protegida com verniz fosco. O piso de madeira de demolição chega até o trecho perto da bancada de Corian (DuPont). Armários de laminado da Ornare. (Foto: Cacá Bratke)

A prova do quebra-quebra aparece nas vigas e colunas largas, assumidas em seu concreto bruto. A cozinha roubou metros da área de serviço e ganhou a companhia da enorme mesa de madeira, pronta para receber até 15 pessoas para um almoço ou reuniões de trabalho. No piso, domina a madeira de demolição, interrompida apenas na faixa de 1 m de largura à frente das janelas, com revestimento de porcelanato para proteção contra os respingos de chuva.

Continua após a publicidade

A mesa de jantar leva madeira de demolição, material que vai bem com as pastilhas de vidro vermelhas (Vidrotil) aplicadas na parede lateral e no frontão da pia, ao fundo. Pendente modelo Fit, da Lumini. Novos caixilhos de alumínio atualizaram as esquadrias de correr – à frente delas, o piso recebeu uma faixa de porcelanato em placas de 1 x 1 m (Portobello). (Foto: Cacá Bratke)

Leia também:

Truque favorece a circulação nesta cozinha integrada

A ordem é integrar a cozinha à sala de jantar e até ao estar

Continua após a publicidade

Publicidade