Uma banca no centro de São Paulo com espaço de convivência (e livros!)

Na esquina das ruas Barão de Tatuí e Imaculada Conceição, no centro de São Paulo, esta banca diferente convida quem passa a um momento de pausa

Por Fotos Marco Antonio Atualizado em 14 dez 2016, 11h17 - Publicado em 10 jan 2015, 16h03
01-banca-diferente-sao-paulo

Clássico da paisagem urbana, a banca, há tempos, não vende mais apenas publicações impressas. “Vemos até brinquedos nas prateleiras lotadas, e sua essência vai se perdendo”, diz a jornalista Cecilia Arbolave, que, com João Varella, comanda a editora independente Lote 42. A ideia de reviver um ambiente amigável e aberto para oferecer os lançamentos do selo os levou a adquirir a Banca Tatuí, reformada pelos arquitetos Mario Figueroa e Letícia Tamisari. “Há uma demanda reprimida por usar a cidade. Resgatar esse tradicional equipamento de rua para um projeto tão interessante foi uma oportunidade de explorar outras possibilidades de ocupação do espaço público”, afirma Mario. Além de perfis metálicos reforçados, o ponto ganhou identidade visual assinada pela Casa Rex: além da padronagem sobre o cinza na fachada, chama a atenção a testeira amarela, alegre como esse tipo de estabelecimento deve ser.

02-banca-diferente-sao-paulo

Minissala de estar

Os arquitetos privilegiaram a circulação interna generosa, que deixa área para o convívio. Há trechos para sentar, pegar um livro, ler, conversar…

Continua após a publicidade

03-banca-diferente-sao-paulo

Visual limpo

Nada de nichos entulhados: os módulos de OSB têm poucos produtos expostos. O estoque fica guardado nas partes fechadas, sacada que garante a organização.

04-banca-diferente-sao-paulo

Fachada nada monótona

Se a legislação municipal diz que as bancas “serão padronizadas na cor cinza”, por que não usar uma estampa em diferentes nuances? Aqui, o padrão brinca com a forma das letras.

Continua após a publicidade

Publicidade