Três escadas esculturais e ultratecnológicas

Com projetos e visual futuristas, esta três escadas dão força estética aos projetos

Por Por Denise Gustavsen Atualizado em 14 dez 2016, 13h01 - Publicado em 14 out 2013, 22h34
01-tres-escadas-esculturais-e-ultratecnologicas

Formada apenas por degraus de aço cobertos de espuma termoplástica polimérica injetada, seguida por algumas camadas de fbra de carbono de alta resistência, a Vertebrae impressiona pelo traçado em espiral. O curioso é como esses degraus se encaixam. “Copiam o modo funcional como as vértebras das baleias se apoiam umas às outras e lhe dão maleabilidade”, conta o arquiteto canadense Andrew McConnell. Como vértebras: cada um dos 28 degraus da Vertebrae (3,20 m de diâmetro) é moldado individualmente e preso no outro (e no piso e teto) por linguetas e pinos de aço.

 

02-tres-escadas-esculturais-e-ultratecnologicas

O espírito supercontemporâneo da Folio, desenvolvida pelo estúdio italiano Disguincio&Co, também vai além da aparência: é feita de um composto plástico polimérico reforçado com fibras de vidro e de carbono de alta performance, mesmo material usado nas naves espaciais. “Utilizamos softwares de engenharia aeroespacial para absorver o impacto das passadas”, diz o arquiteto Mirko Daneluzzo. Estrutura única: a matéria-prima ultrarresistente da Folio (2,10 m de diâmetro) permite que os 19 degraus sejam fixados entre si por pinos de aço: o primeiro parafusado no chão e o último, no piso superior.

 

03tres-escadas-esculturais-e-ultratecnologicas

Num caminho mais tradicional, o arquiteto espanhol Alex Borràs Ortega elegeu metal e madeira para criar a escada usada como divisória entre as salas de estar e jantar numa casa de campo do século 16, na Espanha. Muita leveza: os 15 degraus de carvalho (1,60 m de largura) são transpassados por perfis de aço soldados a perfis metálicos verticais chumbados ao piso e no teto. Assim parecem flutuar.  

Continua após a publicidade

Publicidade