Corredor ganha cor, nichos e alma nordestina

A área de passagem ganhou cor, azulejos, ilustrados e móveis. Agora, ela merece uma visita mais demorada

Por Texto Isis Gabriel | Fotos Léo Caldas Atualizado em 14 dez 2016, 11h47 - Publicado em 20 dez 2013, 14h15
abre-corredor-ganha-cor-nichos-e-alma-nordestina

Os olhos passeiam por azulejos que são verdadeiras obras de arte, as mãos alcançam um livro ali na estante e as pernas encontram descanso em um belo banco. Tudo isso sem sair do corredor. “E pensar que, antes, isso aqui parecia um hospital: era uma brancura só”, brinca a blogueira Ana Medeiros ao descrever a área de 1,20 x 5,80 m – interligação de todos os cômodos da casa onde mora com o marido e o filho, em Gravatá, PE. Nesta reforma vapt-vupt, a moça fez valer o que ensina no blog A Casa Que a Minha Vó Queria, personalizando o espaço com criatividade e economia. “Começamos pelo lustre e fomos juntando ideias alegres. O que queríamos mesmo era reverenciar a cultura da nossa terra”, resume a pernambucana.

 

Para aprender os truques para alinhas os quadros, acesse o blog A Casa que a minha vó queria.

Continua após a publicidade

– Lustre: fios, soquetes, lâmpadas, ferragens (R$ 25,50) e spray na cor bronze, da Iquine, (r$ 23). Caroatá.

– Nichos: material, duas chapas de OSB de 2,20 x 1,20 x 0,09 m (Lisarb Kennedy, R$ 29 cada) e ferragens (Caroatá, R$ 10). Mão de obra: Rafael de Lima, R$ 30.

– Corte de chita: Nininha Tecidos, R$ 10.

– Azulejos: kit com seis unidades (15 x 15 cm), cada uma com uma ilustração diferente. Casa de Criação a Vó Queria, R$ 75.  

Largura x profundidade x altura.

Preços pesquisados em 11 de dezembro de 2013, sujeitos a alteração.

Continua após a publicidade

Publicidade