Casa Created with Sketch.

15 dúvidas sobre papéis de parede

Versáteis, os papéis de parede são opções práticas para renovar a decoração da casa em pouco tempo. Separamos as 15 dúvidas mais frequentes e as respostas de alguns profissionais

01-decore-sua-casa-online-sala-de-jantar

 (/)

1. Posso usar papel de parede no lugar da cabeceira da cama?

O papel de parede próximo à cama vai enfrentar bastante contato com o corpo e precisará de limpezas mais frequentes. Neste caso, opte por papeis vinílicos, pois possuem uma superfície plástica que fica nova com um pouco de água e sabão neutro. “O material tem um odor mais forte, mas ele se dissipa com o tempo”, conta Alessandra, da By Floor. “Como todos os papeis de parede, não absorve poeira”, acrescenta.

2. Posso colocar o papel de parede e depois ficar minha à cama?

Se a cama for fixada à parede, instale primeiro o móvel e só depois o papel. Assim, você evita o risco de estragar a decoração com itens pontiagudos, como cabeças de parafusos ou chaves de fenda . “Você pode se apoiar no revestimento, mas ele não resiste a um atrito contundente”, explica Alessandra.

3. É legal combinar papel de parede e a cabeceira da cama?

– Caso opte por combinar papel e cabeceira, crie nichos para destacar – e proteger – o revestimento. Segundo a arquiteta Adriana, a estrutura, uma espécie de moldura para as estampas, deve estar entre 60 cm e 120 cm de distância do chão, altura da maioria das cabeceiras.

– Enriqueça a composição com jogo de luz. Para isso, embuta pontos de LED de 1 wat com intervalos de cerca de 30 cm. Outra opção recomendada por Adriana é adotar fitas de LED. Nos dois casos, cuidado com a cor das luminárias. “Para não transmitir frieza, escolha o branco quente ou luminárias em RGB, ou seja nas cores vermelho, verde e azul ”, sugere a arquiteta.

 4. Como harmonizar o papel de parede com roupa de cama e cores das outras paredes?

“Equilíbrio é a palavra”, explica a designer de interiores Patricia. A carioca gosta de harmonizar papeis repletos de tons vibrantes com revestimentos claros e roupas de cama em tons suaves. Outra opção é usar padrões simples e atemporais, como listras, quadrados e círculos. Assim o papel de parede atrai olhares, mas o cômodo continua agradável e relaxante. Quem gosta de ambientes discretos deve apostar em estampas clássicas, como linho e adamascado, recomenda a arquiteta Adriana.

5. Papel de parede com tom vibrante é uma boa opção para um dormitório?

– Amantes de cores podem – e devem – usar os papeis vibrantes no dormitório. Mas é importante planejar bem: o revestimento pode custar caro, ainda mais quando se opta por padrões sofisticados. “Eu sempre faço um desenho 3D fotorealista para os clientes”, conta a arquiteta Adriana. Se você não tem a consultoria de um profissional, aposte apenas nos tons que normalmente já aprecia.

– Para a designer Patrícia, é possível combinar várias estampas diferentes, desde que elas se coordenem. Escolha, por exemplo, um mesmo tom que se repita em várias padronagens. Outra opção é misturar padrões de diferentes tamanhos e formas – por exemplo, um papel com estampa de quadrados grandes e outra com listras menores.

– A combinação de padrões também funciona bem na cabeceira de crianças. Assim é possível fugir de estampas mais comuns, como desenhos infantis ou a famosa faixa no meio da parede. Dessa forma a decoração dura mais tempo no quarto – e os pais economizam energia e dinheiro.

6. Como combinar o estofado das cadeiras com o papel de parede?

Para a escolha da estampa, leve em conta a paleta de cores da sala e o desenho do estofado das cadeiras: “Se ele for rebuscado ou floral, um papel listrado é uma boa opção. Caso seja muito discreto, aposte em formas geométricas de tamanhos grandes”, sugere Thais Lenzi Bressiani, arquiteta de Porto Alegre. Uma alternativa mais clássica recai sobre uma padronagem de fundo bege com ornatos claros, sugestão da designer paulista Lina Miranda. Outra dica esperta é pedir à loja uma amostra e levar para casa – assim, consegue-se enxergar o efeito no cômodo. 

7. Fica legal colocar o mesmo papel de parede em todas as paredes do cômodo?

Sim. É possível aplicar o papel em todas as paredes de um cômodo, criando uniformidade, ou em apenas uma, dando destaque para uma área específica do ambiente. Se optar por aplicar o papel em todas as superfícies, o ideal é escolher padronagens mais discretas e cores amenas, para não carregar o visual.

8. Papel de parede pode ser colocado em locais externos?

Os papéis de parede não são indicados para áreas externas ou molhadas: jardins, cozinhas e banheiros têm condições de umidade que podem danificar o produto. O ideal é aplicar em quartos, escritórios, salas de estar e jantar. Até mesmo lavabos podem receber o material.

9. Qual parede de um quarto é a melhor opção para aplicar papel de parede?

Em dormitórios, prefira revestir a parede atrás da cama. Ali, o papel de parede ajuda a criar uma moldura para a cabeceira. Além disso, como não fica no campo de visão de quem está deitado, as chances de enjoar da estampa são menores.

10. O estilo de um papel de parede remete a algum significado?

Uma boa estampa leva personalidade ao ambiente e pode ajudar a criar climas diferentes. O floral, por exemplo, traz delicadeza e romantismo; o geométrico pode compor ambientes ousados e modernos, e bolinhas são garantia de descontração e diversão.

11. Papéis de parede combinam com móveis coloridos?

 Ao compor ambientes, o equilíbrio é essencial: se já possui móveis e acessórios bem coloridos, procure um revestimento de parede mais neutro, que não entre em conflito com a paleta de cores presente.

12. Existem papéis de parede com texturas diferentes?

Além das estampas, as texturas são outro ponto positivo deste material – há modelos com relevos que remetem ao toque do tecido, da palha, da madeira e até mesmo do metal. E o melhor, tudo isso a preços bem mais acessíveis que os materiais originais.

13. É difícil aplicar papel de parede?

A aplicação do papel de parede é simples e rápida – não provoca respingos e odores, que podem vir com a pintura, por exemplo. Quem tem um pouco de habilidade manual e disposição pode aplicar o papel em casa até sem a ajuda de profissionais. Aprenda aqui.

14. O que é mais barato: usar tecido ou papel nas paredes?

O papel de parede pode ser de três tipos: simples, que leva apenas celulose na composição; vinílico; ou, ainda, de tecido e celulose. Todos são vendidos em rolos, com largura de 50 cm a 1 m e 10 m de comprimento. Os vinílicos aceitam limpeza com pano úmido, e os outros, apenas aspirador ou espanador – regra válida também para os tecidos. Estes vêm em cortes mais largos (1,40 ou 2,80 m), mas, por outro lado, exigem mão de obra pra lá de especializada na colocação. A durabilidade depende da instalação e do uso, já que a exposição ao sol, por exemplo, pode desbotá-los. No quesito preço, é possível encontrar opções em conta de ambos os revestimentos em home centers e lojas populares. Lembre-se de computar o trabalho do instalador: em São Paulo, aplicar um rolo de papel de parede de 50 cm x 10 m custa a partir de 200 reais. Já a colocação de 1 m² de tecido sai a partir de 300 reais (valores pesquisados em 2013).

15. Como remover um papel de parede?

– “Você mesma pode remover o acabamento, mas dá trabalho”, avisa Anna Christina Dias, da loja Celina Dias Tecidos e Papéis de Parede (tel. 11/3062-0466), de São Paulo. Se a parede for de alvenaria com reboco, borrife-a inteiramente com água ou use um vaporizador elétrico: “Ao ser umedecido, o papel amolece gradativamente, ficando cada vez mais fácil de ser retirado”, explica a arquiteta e designer de interiores Nathalia Montans (tel. 43/3025-3026), de Londrina, PR.Aproveite as bolhas que aparecerem e inicie a remoção puxando com os dedos. A partir daí, tudo depende da composição do papel. “Há situações em que ele se despedaça ou simplesmente não desgruda”, fala Nathalia. Quando for assim, utilize um raspador de paredes com lâmina flexível, acessório encontrado em casas de tintas.

– Nunca use espátulas ou facas, que podem danificar a parede”, alerta Márcia Maria R. de Andrade Barizon, da loja Vivain (tel. 43/3029-7010), de Londrina, PR. “Se sobrar um pouco de cola, esfregue suavemente uma esponja umedecida”, completa. Mas nada disso adianta se a parede for de gesso. Como ele não tolera a umidade, é mais seguro contar com mão de obra especializada. Para saber se sua parede é feita desse material (drywall), basta bater nela: o som será oco. E para descobrir se apenas o reboco é de gesso, raspe um pedacinho com canivete: o gesso produzirá um pó branco e fino, enquanto o reboco normal fará surgir um resíduo cinza e mais grosso.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s