Dia de Iemanjá: como fazer seu pedido à Mãe das Águas

A grande mãe no Umbanda ouve suas intenções mesmo sem oferendas. Mas aqui você aprende como se conectar mais rapidamente a ela

Por Márcia Carini

Divulgação

flash-iemanja

Iemanjá sempre me encantou pela sua incontestável beleza. Aprendi a reverenciá-la ainda na infância, quando nas festas de Cosme e Damião, via suas imagens - aquele vestido azul, aquele cabelo impressionante, braços abertos, linda, linda. E nos reveillons passados em praia, me encantavam os barquinhos que lhe eram oferecidos. Agradeço aos meus pais católicos por terem me possibilitado uma educação religiosa ampla, quase ecumênica. Pois quando me tornei adolescente e comecei a ler os livros de Jorge Amado aprendi a "ver" Iemanjá no mundo real, manifestada na natureza e no amor de cada mãe. Eu a vejo sempre que estou perto do mar. Eu a vejo nas ondas quando a noite começa a cair. Eu vejo seu cabelo esparramado no balançar das águas e eu a sinto, olhando para mim. A reportagem da revista BONS FLUIDOS sobre Iemanjá fala de seus inúmeros nomes e da lenda de sua criação. Ela tem a incumbência de manter o equilíbrio emocional e mental dos seres humanos. Então, no dia 02 de fevereiro, perto do mar ou longe dele, se você quiser pedir que Iemanjá ajude a restaurar o seu equilíbrio emocional, pode tentar se conectar a ela.

A sacerdote de Umbanda e terapeuta holística Deuse Mantovani ensina que o mais importante é saber que todas as entidades - assim como todas as coisas da natureza - possuem uma vibração energética (que na física chamamos de frequência de oscilação). Alguns elementos podem nos ajudar a entrar na mesma vibração de Iemanjá - os rituais e oferendas são uma dessas formas. Lembre-se portanto que cor azul claro pode fazer com que você se sintonize com a vibração energética da Mãe das Águas. Um ritual possível e muito bonito, sugerido por Deuse, é o de acender 7 velas de cor azul clarinho dispostas em círculo e, junto a elas, colocar rosas brancas. O resultado final é o de uma bela mandala. A intenção precisa ser positiva de agradecimento ou de pedido, sempre focando a mente na cor azul claro e na vibração de amor e de criação. Se você não encontrar as velas nesta cor, pode acender velas brancas e usar uma fita azul claro, daquelas fininhas, para amarrar suavemente as velas, unindo-as, por exemplo. Isso pode ser feito na areia, em frente ao mar (neste caso, abra um pequeno buraco na areia para que o vento não apague as velas), ou na sua própria casa. Existem preces para Iemanjá, mas elas não são obrigatórias. Basta que o coração e a mente estejam abertos para a energia que Iemanjá emana. Carregue consigo a força generosa e a tranquilidade dessa vibração durante o ano todo para se sentir protegido e abraçado.

Curta o CASA.COM.BR no Facebook