Dia das crianças: 10 livros infantis de Arquitetura para presentear

Quer sugestões para presentear no Dia das Crianças? Confira obras literárias com uma pegada divertida e inovadora sobre arquitetura e design

em Casa.com.br

Com inusitadas roupagens e conteúdo didático, livros infantis sobre arquitetura e urbanismo têm ganhado o mercado editorial. A releitura de Os Três Porquinhos, trazendo os arquitetos Frank O Gehry, Philip Johnson e Frank Lloyd Wright nos papéis principais, é uma boa prova de que dá para falar do tema de uma forma mais moderna. São obras escritas em português, inglês e francês. Algumas estão disponíveis no formato de e-book. Em comum, elas têm uma linguagem simples e uma série de apelos lúdicos e inventivos.

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

Embora ainda longe de receber o status de fada madrinha, a arquitetura tem o poder de realizar desejos e instigar diversos mistérios, sobretudo no universo infantil. E livros com essa temática podem lançar mão de enredos fabulosos para elucidar o urbanismo, a cidadania e outras discussões do dia a dia de forma interessante, segundo o publisher francês Jean Poderos. À frente da Éditions Courtes et Longues, em Paris, ele está atento há anos nessa conexão editorial e educacional e já leu e publicou vários livros com essa temática. “É importante mostrar que no mundo há construções, ruas e cidades, e que as crianças precisam saber que fazem parte disso tudo”, diz Jean.Apesar de essencial, esse repertório gera pouco interesse no mercado editorial. “Ainda não descobri o porquê”, diz o publisher a respeito de sua experiência na Europa. Segundo ele, talvez as editoras não queiram se atrever, se arriscar a produzir livros com esse tema ou talvez os autores não queiram escrever sobre questão tão subjetivas.

No Brasil, esse cenário também não é nada encantador. Se na Europa o número de publicações fica na casa das centenas (e Jean considera baixo), aqui não passamos de dez obras publicadas sobre o assunto. Há sim uma infinidade de livros infantis falando a respeito de arte, mas sobre design e arquitetura, não.

“Acho que isso tende a melhorar a partir deste ano”, comenta Katia Canton, escritora renomada nesta área. Segundo ela, a escassez da água, a chegada das ciclovias, as novas facetas do grafite nas ruas além, é claro, do aumento progressivo da produção de móveis e da projeção de casas e prédios com materiais de baixo impacto ambiental geram indagações. E isso pode despertar o interesse de alguns autores a escrever sobre arquitetura, urbanismo e design para crianças. Assim esperamos!

* Preços pesquisados dia 02 de outubro de 2015 e sujeitos a alterações;

Juliana Tourrucoo

rede mdemulher