Casa Created with Sketch.

Esrawe Studio projeta móveis para habitação social no México

O estúdio mexicano participa, junto a arquitetos de renome, da iniciativa federal que busca melhorar a qualidade de moradia dos trabalhadores mexicanos

 (
Jaime Navarro/Divulgação)

O estúdio de design mexicano Esrawe Studio projetou duas coleções de móveis para o Infonavit Housing Research and Practical Experimentation Laboratory (em português, “Laboratório de Pesquisa Habitacional e Experimentação Prática”), um programa que busca melhorar as condições de moradia dos trabalhadores mexicanos de baixa renda.

Além do estúdio de Hector Esrawe, 32 arquitetos de renome apoiam o projeto e construíram protótipos de casas de baixo custo, que pretendem ser implantados, a longo prazo, em todo o México.

A Collection One mescla molduras de madeira volumosas e tecidos naturais.

A Collection One mescla molduras de madeira volumosas e tecidos naturais. (
Jaime Navarro/Divulgação)

“O laboratório foi encarregado de testar, avaliar e validar esses protótipos de casa para melhorar a qualidade de vida das pessoas que vivem nelas e promover as melhores práticas com seus desenvolvedores, demonstrando, por exemplo, que é possível construir casas de qualidade de custos parecidos com as que temos hoje em dia”, disse o estúdio.

A coleção estreia em três casas, incluindo uma da Dellekamp Arquitectos.

A coleção estreia em três casas, incluindo uma da Dellekamp Arquitectos. (
Jaime Navarro/Divulgação)

As duas coleções serão usadas para mobiliar todas as 32 residências construídas em um terreno na cidade de Apan.

Para elas, a equipe da Esrawe desenvolveu projetos simples e versáteis usando madeira e metal tubular. Os projetos são baratos e fáceis de montar, podendo assim, ser fabricados em qualquer oficina.

Ambas as coleções incluem peças necessárias para mobiliar uma casa inteira, incluindo camas de casal e solteiro, sofás e cadeiras, mesas em vários tamanhos e estantes de cozinha.

Ambas as coleções incluem peças necessárias para mobiliar uma casa inteira, incluindo camas de casal e solteiro, sofás e cadeiras, mesas em vários tamanhos e estantes de cozinha. (
Jaime Navarro/Divulgação)

A Collection One combina molduras de madeira volumosas e têxteis naturais, com cadeiras de jantar de assentos de tecido. Nela, os sofás e as camas contêm fitas pretas de elástico cruzadas, que mantêm as almofadas no lugar.

Seus móveis são inspirados no modernismo brasileiro e no mobiliário mexicano vernacular. “A coleção é construída usando formas básicas e expressões robustas, que se complementam e definem espacialmente os protótipos dos lares que habitam”, diz o estúdio.

Sofás da Collection One.

Sofás da Collection One. (
Jaime Navarro/Divulgação)

Já a Collection Two é inspirada pelas linhas simples do design nórdico e da escola Bauhaus, apresentando designs mais leves, feitos de metal tubular e madeira compensada.

As seções de metal podem ter acabamentos em uma variedade de cores, para atender a diferentes designs de interiores.

Collection Two, usada na casa projetada pelo escritório Zago Architecture.

Collection Two, usada na casa projetada pelo escritório Zago Architecture. (
Jaime Navarro/Divulgação)

Enquanto a Collection One pode ser vista nos projetos de Taller Mauricio Rocha e Gabriela CarrilloDellekamp Arquitectos e Cano Vera Arquitectura; a Collection Two é encontrada nas casas projetadas por Frida EscobedoAmbrosi Etchegaray and Zago Architecture

 (
Jaime Navarro/Divulgação)

Responsável por montar o Housing Research and Practical Experimentation Laboratory, o Infonavit é o Instituto Federal do México para Habitação.

 (
Jaime Navarro/Divulgação)

O órgão oferece empréstimos a trabalhadores para que possam comprar ou construir novas casas e reformar propriedades obsoletas e busca encontrar novos modelos nacionais de habitação.

Os protótipos de casa se encontram em uma área projetada pelo estúdio novaiorquino MOS, em Apan.

Os protótipos de casa se encontram em uma área projetada pelo estúdio novaiorquino MOS, em Apan. (
Jaime Navarro/Divulgação)

O laboratório está explorando novas técnicas de construção, sistemas de economia de água e fontes de energia sustentáveis, que podem ser integradas em residências sem aumentar o seu custo.

Dentro deste panorama, foram escolhidos os 32 projetos dos arquitetos aqui mencionados, entre as 84 propostas produzidas para uma iniciativa chamada From the Territory to the Inhabitant (em português, “do território para o habitante”).

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s