Pritzker 2015: arquiteto Frei Otto é premiado postumamente

Mago das estruturas tensionadas, o alemão Frei Otto leva o Prêmio Pritzker 2015, anunciado postumamente

Por Texto Liège Copstein Atualizado em 19 jan 2017, 13h42 - Publicado em 7 abr 2015, 16h30

Conceito primordial que resume o sentido da arquitetura, a tenda marcou a trajetória do alemão Frei Otto (1925-2015). Detido num campo de prisioneiros na França durante a Segunda Guerra Mundial, o então estudante universitário ergueu abrigos com lençóis e cobertores. A primeira obra de fôlego veio em 1955 – um pavilhão de música em Kassel, na Alemanha. Nos anos 60, ele iniciou a carreira acadêmica fundando o Institute for Lightweight Structures and Conceptua lDesign (Ilek), na Universidade de Stuttgart. O reconhecimento mundial chegou duas décadas mais tarde, com sua participação no desenho do Estádio Olímpico de Munique. Frei esteve sempre conectado às tendências de seu tempo. Antecipou a era high-tech ao incorporar estudos de ponta na seara do cálculo, flertou com o pop ao planejar a cobertura do palco da banda de rock Pink Floyd na turnê europeia de 1977 e captou o valor da sustentabilidade ao utilizar papelão reciclável no pavilhão japonês da Expo 2000, em Hanover. Sua obra permanece como referência, ainda que a maioria das estruturas tenha sido temporária. Que isto seja mais uma lição deixada por ele: o essencia lpermanece, embora já não possa mais ser tocado.

Publicidade