Casa Created with Sketch.

Busca por Casas de Campo, Praia e Condomínio Clube disparam na pandemia

Alguns fatores da rotina de pandemia fizeram com que muitas pessoas buscassem alternativas para garantir uma qualidade de vida melhor

A pandemia tem feito os brasileiros planejarem a vida longe das aglomerações e buscarem imóveis afastados dos grandes centros. Entre os locais mais procurados estão as casas no interior e as do litoral. Algumas casas de campo e praia viraram business para os proprietários que estão com contratos fechados até o final do ano. Já as vendas de imóveis em condomínios fechados também cresceram expressivamente.

 (Divulgação/Casa.com.br)

O home office ou a possibilidade do trabalho à distância ser uma tendência mesmo pós-pandemia, aliado ao adiamento das viagens internacionais fizeram com que muitas pessoas buscassem alternativas para garantir melhor qualidade de vida. Para esse novo cotidiano é necessário mais espaço interno, área de lazer e descanso, contato com a natureza, e tudo que permita uma vivência confortável junto à família. Com a aceleração da tecnologia os profissionais também perceberam que podem trabalhar de suas casas com mais segurança e produtividade.

Casa de Campo, por Jacobsen Arquitetura

Casa de Campo, por Jacobsen Arquitetura (FG+SG/Casa.com.br)

De acordo com Yslanda Barros, CEO da Ética Empreendimentos Imobiliários estão no topo do ranking a procura pelos seguintes perfis: “tivemos aumento expressivo em virtude da pandemia por casas em condomínios clube com área de lazer privativo, casas de campo longe de metrópoles e apartamentos em praias com com ótimo acesso à internet, que são buscados para passar temporada e também em definitivo”.

Todas essas questões movimentam o mercado imobiliário. Pesquisas dos maiores portais do setor imobiliário apontam aumento de 63% na busca por imóveis rurais desde o início da quarentena. Em um ano, a procura subiu 336%.

Projeto arquitetônico assinado por Arthur Casas, interiores por Patricia Martinez e paisagismo por Rodrigo Oliveira.

Projeto arquitetônico assinado por Arthur Casas, interiores por Patricia Martinez e paisagismo por Rodrigo Oliveira. (Denilson Machado/Divulgação)

“Muitas pessoas que escolhem o interior e litoral de forma permanente ou temporada estão buscando risco menor de contágio, segurança e calmaria. A nova forma de vida traz refúgios com mais espaço e qualidade para passar o período de confinamento. Mas tudo isso é momentâneo, pode ser que a busca por imóveis desses perfis diminua em relação ao término da pandemia ou a chegada das vacinas”, finaliza a especialista em mercado imobiliário.

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.