Miami Design District: um roteiro de arquitetura e arte

Um passeio pelo Miami Design District, que reúne, desde os anos 2000, marcas de mobiliário, moda e galerias de arte 

Por Texto: Vanessa D'Amaro Atualizado em 20 dez 2016, 21h51 - Publicado em 7 jun 2016, 18h01

Desde o fim dos anos 1990, quem visita Miami tem uma atração a mais para checar: o Miami Design District. Esta área da cidade na Flórida, que fica entre downtown e South Beach, começou a ganhar uma vida nova por iniciativa do empresário Craig Robbins e da L Real Estate que investiram para criar ali um espaço que fomentasse a arte, o design e a arquitetura, trazendo galerias e showrooms de marcas de décor e moda. Abaixo, listamos algumas das principais intervenções (arquitetônicas ou artísticas) que você deve notar quando passar por ali para fazer compras — se for o caso, é claro. 

The Moore Building

Moore Building by Lala Pereira_374-ret

O prédio histórico revela o passado art-déco de Miami, mas com a renovação de 1997 se transformou um ponto de referência no Design District. A instalação Elastika foi criada por Zaha Hadid, quando ela recebeu o prêmio de Design do Ano em 2005. O prédio também abriga o showroom da marca brasileira Ornare, onde você pode parar para tomar um cafézinho. Do outro lado da rua, você pode dar uma passada na Moroso, versão Miami. 

CURRENT---MDD---ARCHITECTURE-&-PUBLIC-ARTS-29

JBL Building

Continua após a publicidade

CURRENT---MDD---ARCHITECTURE-&-PUBLIC-ARTS-6

A dupla do escritório de arquitetura Aranda/Lasch desenhou o JBL Building, ainda com inspiração no estilo art-déco — bem presente na cidade. O espaço comercial abriga grandes marcas de luxo, incluindo o showroom de Tom Ford.

Palm Court

Palm Court - Sou Fujimoto by Robin Hill (c) LO RES (36)

Esta praça, que fica bem no coração do Design District, abriga exposições temporárias e instalações permanentes de arte. Em meio às lojas de design e moda, você confere uma fachada assinada pelo renomado arquiteto japonês Sou Fujimoto. “Minha inspiração foi a luz do sol e a chuva, a ideia era tentar integrar estes dois elementos e criar este efeito na fachada”, comentou o arquiteto em entrevista ao Dezeen. Repare como os recortes em vidro e a iluminação chamam a atenção, principalmente à noite. O espaço possui duas instalações de arte em que vale a pena prestar atenção: Fly’s Eye Dome, inspirada em uma criação de Buckminster Fuller, nos anos 60; e estátua de Le Corbusier, feita em fibra de vidro e desenhada pelo artista Xavier Veilhan.

CURRENT---MDD---ARCHITECTURE-&-PUBLIC-ARTS-17 CURRENT---MDD---ARCHITECTURE-&-PUBLIC-ARTS-15
Continua após a publicidade

Publicidade