Sobrado sessentão: antigo por fora, moderno por dentro

A fachada dos anos 60 foi mantida, mas dentro tem um pouco de tudo: cozinha preta, cimento queimado e cobogós

Por Texto: Carine Savietto | Reportagem visual: Eliana Medina | Fotos: Carlos Piratininga Atualizado em 9 set 2021, 19h09 - Publicado em 22 jan 2018, 11h22
Carlos Piratininga/Minha Casa

Foi amor à primeira vista: quando a relações públicas Lara Giannotti e o empresário Ricardo Lorenzoni, donos do perfil de Instagram @reformaemcasa, bateram os olhos neste sobrado de 1955, souberam que haviam encontrado o lar com que sempre sonharam. Uma obra daquelas era necessária – paredes foram derrubadas, instalações refeitas… –, mas o casal fez questão de tratar a arquitetura de época da fachada como um patrimônio histórico. “É comum os brasileiros admirarem os prédios antigos da Europa, mas destruírem os que existem por aqui. Na contramão dessa ideia, quisemos mostrar que o antigo é lindo. Se incentivarmos uma única pessoa a fazer o mesmo, já teremos cumprido nosso papel!”, diz a moradora.

Carlos Piratininga/Minha Casa

Com muita paciência e capricho

Carlos Piratininga/Minha Casa

Na sala, tudo começou pelo restauro da escada. “Tiramos a camada escura de verniz sozinhos, porque nenhum fornecedor quis fazer esse trabalho. Passamos noites e finais de semana lixando tudo na mão, cada detalhezinho arredondado”, conta Lara, certa de que valeu a pena: “Ficou muito mais bonita”.

Carlos Piratininga/Minha Casa

Os móveis e acessórios preencheram o espaço aos poucos, e cada um tem sua história: enquanto o lustre veio da lua de mel em Marrocos, o sofá foi arrematado em uma promoção de Black Friday. O conjunto de mesinhas laterais foi comprado na internet (Triz. Oppa).

Pretinho nada básico

Carlos Piratininga/Minha Casa

A cozinha é o xodó do casal. “Adoramos os armários pretos! Houve quem dissesse que íamos nos arrepender, mas não aconteceu. O único porém é o acabamento de laca, que risca com facilidade”, avalia Lara. Eis a dupla afinada de revestimentos: azulejo Metro Black e porcelanato Munari Concreto, ambos da Eliane.

Carlos Piratininga/Minha Casa

Outro item querido é o balcão americano de cobogós. Tampo e lateral de madeira de demolição foram feitos sob medida. No jantar, as cadeiras Eames (Openbox 2) acompanham a mesa Biscoito Fino (Oppa).

Adorável cantinho de lazer

Carlos Piratininga/Minha Casa
Continua após a publicidade

O jardim é mais um motivo de orgulho: “A gente montou cada detalhe! Estudamos para saber que plantas ficariam bem ali, carregamos 30 sacos de terra, compramos e plantamos tudo sozinhos”, enumera a moradora. Como a área é muito ensolarada, somente espécies de pleno sol tiveram vez.

Carlos Piratininga/Minha Casa

Na porção coberta do quintal acomodou-se um espaço gourmet, com direito a mesa, pia, geladeira e churrasqueira – o modelo pré-moldado foi fechado com drywall do tipo RF (resistente ao fogo). Porcelanatos cobrem todas as superfícies: no piso, foi aplicado o Duo, da Eliane; nas paredes, a escolha recaiu sobre Ibirapuera Patina, da Portobello.

Passado e presente numa boa

Carlos Piratininga/Minha Casa

Por conta da idade da construção, foi preciso refazer as instalações, incluindo hidráulica e de esgoto. “No quarto, aproveitamos para manter a elétrica aparente. O contraste do estilo industrial com o vintage traz personalidade e deixa a casa com a nossa cara”, resume Lara.

Carlos Piratininga/Minha Casa

A parede da cabeceira ganhou visual de concreto aparente graças a uma textura pronta (Elegance Cimento Queimado, da Ibratin).

No banheiro, os azulejos branquinhos da parede (Metro White, da Eliane) colocam em destaque o piso de ladrilho hidráulico estampado (Calver Gris, da Colormix).

189 m² modernizados

Alice Campoy/Minha Casa

A casa, que tinha um banheiro só, ganhou um lavabo (1). A divisão entre cozinha e jantar foi ao chão (2), assim como a edícula, que deu espaço a um quintal (3) parcialmente coberto.

Continua após a publicidade

Publicidade