Casa Created with Sketch.

Designers brasileiros vencem o Good Design Award 2019

Com inscrições de mais de 47 países, o prêmio englobou as mais importantes corporações influentes na indústria de design

 (Divulgação/Casa.com.br)

Considerado o mais antigo e reconhecido prêmio mundial de excelência em design no mundo, o Good Design Award premiou três brasileiros em sua edição deste ano: Ronald Sasson, Jader Almeida e Zanine Caldas.

Sasson, que já havia sido laureado com o prêmio norteamericano, agora vence na categoria Furniture com suas peças Banco Serpa e Poltrona Dunna.

Banco Serpa, de Ronald Sasson.

Banco Serpa, de Ronald Sasson. (Divulgação/Casa.com.br)

O banco presta homenagem a um dos coletivos mais importantes das artes visuais que existiram no Brasil, e, como o nome já indica, faz referência a um dos fundadores do grupo – Ivan Serpa.

A peça tem como inspiração o quadro Formas, de autoria de Ivan, que o iniciou no trabalho com abstração geométrica. Como resultado, o banco brinca com as formas: tubos de aço atravessam a base de MDF naval, como se estivessem “deformando” a estrutura sólida.

“O Grupo Frente sempre foi um balizador, bem como ponto de apoio para o meu trabalho. Admiro a ruptura estética e a coragem dessas pessoas, assim como o resultado plástico profundamente relevante”, comenta Ronald Sasson.

Poltrona Dunna, de Ronald Sasson.

Poltrona Dunna, de Ronald Sasson. (Divulgação/Casa.com.br)

A poltrona, por sua vez, é inspirada no mobiliário dos anos 1970, com estofaria circular e três pés em arco de madeira usinados em formato de clip de papel.

Dunna é a mistura mais equilibrada que consegui em meus projetos. A peça tem o corpo estofado em curva como se faz no design nórdico e italiano, mas com uma pitada lúdica do design dinamarquês contemporâneo. Já os pés são uma releitura da fase modernista brasileira”, explica Ronald.

 (Divulgação/Casa.com.br)

Já o designer Jader Almeida, também vencedor de outras edições, foi a mente responsável pelas peças ganhadoras Cadeira Ella e Mesa Aris. Apresentada ao público em 2019, a cadeira é uma combinação elegante de materiais, como aço carbono e a madeira maciça.

“A coleção Ella desafia os limites da resistência. De fato, os pés são tão esguios que fazem alusão à ideia de levitar”, conta Almeida.

Ainda em 2019, o designer incluiu ao portfólio da SOLLOS a mesa de jantar Aris, concebida com materiais distintos como a madeira e o mármore em perfeita proporção de acabamentos.

 (Divulgação/Casa.com.br)

Premiado também na categoria Furniture, o arquiteto Zanine Caldas levou o prêmio por sua cadeira Lagoa. Inspirada nas curvas sinuosas da lagoa Rodrigo de Freitas, que encanta o Rio de Janeiro, a peça expõe uma delicadeza orgânica, que nos lembra o espírito tropical.

A cadeira é produzida com estrutura de madeira compensada, cuidadosamente embrulhada com diferentes espessuras de espuma de poliuretano e estofamento até o acabamento final.


Para esta anunciação, o Museu de Arquitetura e Design recebeu número recorde de inscrições dos principais fabricantes mundiais e empresas de design gráfico e industrial de mais de 47 países.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s