Obra de Oscar Niemeyer será digitalizada

Digitalização do acervo da Fundação Oscar Niemeyer, responsável pela guarda dos documentos do arquiteto, disponibilizará croquis, álbuns e desenhos técnicos inéditos

Por Marcel Verrumo Atualizado em 20 dez 2016, 22h42 - Publicado em 8 ago 2013, 18h41

Aos amantes e estudiosos da obra do maior arquiteto brasileiro, Oscar Niemeyer (1907 – 2012), a Fundação Oscar Niemeyer começou em agosto um trabalho que promete fazer olhos brilharem: grande parte do acervo do mestre, antes guardada em salas às quais poucos tinham acesso, será digitalizada e disponibilizada ao público. A novidade é fruto de uma parceria entre a Fundação e o Instituto Itaú Cultural.

O material abrange 342 projetos arquitetônicos produzidos por Niemeyer entre 1938 e 2012. “São álbuns, croquis e desenhos técnicos ao quais o público não tinha acesso. Aliás, muitos desses documentos, que incluem projetos de obras públicas e também de casas, nem saíram do papel, mas são muito inspiradores. Por ser uma fonte histórica e artística importante, conseguir o apoio para a digitalização do acervo foi uma conquista importante”, afirma Carlos Ricardo Niemeyer, diretor de licenciamento da Fundação e bisneto do arquiteto. A verba à qual Carlos se refere são os recursos adquiridos pelo Ministério da Cultura, através da Lei Rouanet. Além da digitalização do acervo, o dinheiro também será investido no tratamento e na catalogação e papéis que ainda não passaram por esse processo.

Carlos Ricardo informa que, a partir de setembro, será iniciada a digitalização do acervo já catalogado, processo que deve durar quatro meses. Simultaneamente, os documentos ainda não registrados serão catalogadas. No início de 2014, essa nova fatia do acervo será digitalizada. A expectativa é que em maio todo o trabalho já esteja finalizado e disponibilizado no site da Fundação Oscar Niemeyer.

niemeyer
Continua após a publicidade

Publicidade