Jardim São Bento: bela vista

Ei-lo no alto de uma colina. Considerada a mais nobre da zona norte, a área é um recanto ocupado apenas por casas

Por Da redação Atualizado em 20 dez 2016, 21h17 - Publicado em 7 fev 2007, 13h26
Um título para uma foto sem titulo

O nome do bairro se refere à presença centenária dos padres beneditinos. Na década de 1940, eles introduziram um projeto de urbanização com ruas largas e arborizadas, que hoje valoriza o lugar. Ali só se constróem casas com recuos laterais de 2m, garantindo privacidade – algumas delas até dispensam muros. Mesmo com o movimento intenso de helicópteros e pequenos aviões na Base Aérea de Marte, o lugar é um pedaço tranqüilo na capital. Do alto de ladeiras íngremes, os espigões do centro da cidade parecem apenas um cenário. Guaritas particulares vigiam as ruas e os moradores fazem pequenas compras na vizinha Vila Bianca. Nas ruas Leão XIII, Sóror Angélica e Maria Curupaiti, muitos sobrados e alguns edifícios se mesclam ao pequeno comércio local. Terreno para construir é difícil, mas a oferta de casas usadas é grande: “Muitos idosos decidem se mudar para apartamentos ou imóveis menores depois que os filhos crescem e casam”, explica Luiz Kechichian, diretor da imobiliária. Os padres beneditinos lotearam a área hoje conhecida como Jardim São Bento e deixaram algumas restrições sobre a construção de residências. Além dos recuos laterais mínimos de 2 m, cada terreno só acolhe uma casa de no máximo três pavimentos. Nomes de sacerdotes e santos batizaram as ruas. O Sítio Morrinhos ou Chácara dos Padres servia de residência para monges beneditinos no início do século e foi tombado pela Secretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Sphan).

Positivos

Tranqüilidade

Facilidade de acesso

Continua após a publicidade

Negativos

Ausência de áreas de cultura e lazer

Barulho de helicópteros e pequenos aviões

“Aqui as pessoas são amigas há muitos anos”

“Quando era criança nadava em um lago perto da praça General Fernando Valente Pamplona, além de competir com o carrinho de rolimã pelas ruas do Jardim São Bento”, conta o empresário Carlos Zapparoli. Ele cresceu no bairro da Casa Verde e sempre brincava com os amigos no Jardim São Bento. Deixou para trás os desafios nas ladeiras, mas as amizades permanecem as mesmas. Hoje, os amigos se reúnem para campeonatos de tênis na casa de Zapparoli, construída em 1978 no Jardim São Bento. Os três filhos, com idades entre 25 e 30 anos, curtem a região caminhando em praças ou jogando futebol na associação de bairro. “Nossa casa foi assaltada uma vez, mas não pensamos em mudar por isso.”

O bairro conta com famílias tradicionais e outras muito jovens, que aproveitam a oferta de casas numa das regiões mais charmosas da zona norte. “O Jardim São Bento é o sonho de consumo de muita gente que tem dinheiro e quer viver na zona norte, mas não quer abrir mão da qualidade de vida”, pontua Luiz Kechichian, da Mirantte. O ar mais puro por conta da posição geográfica elevada e a qualidade da água, que vem do Sistema Cantareira, são pontos positivos que se somam ao perfil acolhedor dos moradores dessa região da cidade, próxima à Serra da Cantareira e do Horto Florestal. De fato, o lugar parece perfeito para formar uma família e ver os filhos crescerem. O tempo parece fluir mais devagar e ainda é possível ver casais namorando à noite em pequenas praças. Cheias de árvores, calmas e íngremes, as ruas convidam à prática de exercícios físicos.

Continua após a publicidade

Publicidade