Este prédio é para quem venceu no Jogo Imobiliário da vida real

Assinado pelo estúdio inglês YOO, de Philippe Starck, este prédio no Itaim Bibi  é puro luxo. Só no hall de entrada, há um lustre imenso da Baccarat que custa um pouco mais de R$ 500 mil

Por Marcel Verrumo Atualizado em 20 dez 2016, 19h57 - Publicado em 1 out 2015, 18h10

Esta é uma notícia para quem acumulou muito dinheiro no Jogo Imobiliário da vida real. Entre os burburinhos que animarão as conversas da high society paulistana nas próximas semanas, certamente será citado o nome de um dos principais designers do mundo: o francês Philippe Starck. Isso porque o seu estúdio YOO, que tem em sociedade com John Hitchcox, assina pela primeira vez um projeto residencial de decoração para um prédio brasileiro, o One Sixty, na Itaim Bibi. O público-alvo da construção, segundo Efraim Horn, co-presidente da empreendedora Cyrela, é aquela pessoa que já mora bem e deseja atualizar o endereço para uma área valorizada da cidade ou até adquirir um novo imóvel para os filhos, por exemplo. Uma parcela bem segmentada da população, diga-se de passagem, afinal, não é qualquer um (ou melhor, não é quase ninguém) que pode desembolsar R$ 6,75 milhões, valor mínimo para ter direito de morar no prédio (no menor apê, claro — que não é nada pequeno: são 270 m²).

1-one-sixty

O alto investimento está em sintonia com o padrão oferecido: o One Sixty está a 40 metros da Avenida Faria Lima, um dos principais centros financeiros da cidade; sua fachada tem 160 metros (é, portanto, maior do que um campo de futebol) e está na Michel Milan, uma das quatro ruas da capital com fiação subterrânea. Quem entra no prédio se depara desde o início com a muita riqueza e, talvez, até uma pitada de ostentação: no hall de entrada, há um lustre Baccarat, tradicional grife francesa, que chega a custar mais de 500 mil reais. Em cada unidade, a sala e a varanda têm pé direito duplo, com 6 metros (um sonho!) e todas as moradas têm, no mínimo, quatro suítes, além de cômodos que já nem são comuns em lançamentos imobiliários, mas que são comuns em casa de gente rica, como um quarto de empregada e um lavabo. “Quisemos oferecer aos paulistanos um oásis no coração da cidade, próximo ao local de trabalho de muitos”, afirmou Horn. Acho que nem precisamos falar que há piscina, academia e muitos cômodos gourmets… A cobertura sai por um valor bem alto: o duplex do One Sixty, com seus 585 m² e 40 mil por m², custa mais de 23 milhões. Aqui no Brasil, os responsáveis pelo acompanhamento do projeto e a execução dos interiores são Jonas Birger e Carlos Rossi. O paisagismo é de Benedito Abbud.

2-one-sixty
Continua após a publicidade

Publicidade