Casa em Paraty: telhas de barro e paredes de massa grossa

Saiba como a paisagista Ana Clara Muylaert ergueu sua casa com piso de cimento e estrutura de madeira em Paraty.

Por Por Eliana Medina e Joana L. Baracuhy Fotos: Victor Affaro Atualizado em 14 dez 2016, 11h32 - Publicado em 14 jan 2010, 15h02
Um título para uma foto sem titulo

As recordações que a paisagista paulista Ana Clara Muylaert guarda de Paraty, no litoral fluminense, diferem bastante da cidade atual, repleta de lojinhas, cafés e turistas. “Para mim, o centro histórico vale como um belo cenário, mas não é vivo após o horário comercial”, ref lete. “Tenho saudade da comunidade de pescadores que eu visitava nas férias, durante toda a minha infância”, diz. Por isso, quando resolveu dar um tempo da vida corrida na cidade grande e experimentar um período de retiro junto da família (ela tem dois filhos, hoje com 13 e 15 anos), tratou de erguer uma casa nos arredores do município, endereço da população nativa da região.

A família se instalou numa construção simples, que Ana mesma traçou com a ajuda de um arquiteto local e foi erguida por um construtor de lá. “Rapidamente, nos adaptamos a uma vida mais natural”, diz. A temporada em Paraty serviu ainda para ela ampliar sua experiência profissional: executou obras importantes para seu currículo e se aprimorou naquilo que julga fazer melhor – hortas e herbários. Como tudo corria bem, mãe e filhos foram ficando… por cinco anos. Mas em 2009, com os meninos entrando na adolescência, Ana resolveu voltar para São Paulo. “A experiência deixou um saldo de liberdade”, conclui ela, que agora retorna à casa apenas nos fins de semana.

Continua após a publicidade

Publicidade