Casa Created with Sketch.

Os quatro passos definitivos do desapego

Se não usamos, porque temos? Juliana Faria, personal organizer, explica como o desapego é importante e maneiras de praticá-lo

Conversamos com Juliana Faria, da Yru Organizer, para aprender a desapegar — afinal, não adianta investir na arrumação se seus armários, gavetas e mesas estão repletas de objetos sem uso. Vamos lá?

1-os-quatro-passos-definitivos-do-desapego

 (/)

1. Não se deixe levar pela emoção

A guru da arrumação Marie Kondo (autora do livro A Mágica da Arrumação – A Arte Japonesa de Colocar Ordem na Sua Casa e na Sua Vida, vendido pela editora Sextante, R$24,90) diz que devemos guardar o que nos traz felicidade e descartar o que está relacionado à lembranças tristes. Juliana discorda: “Se nós, brasileiros, formos guardar tudo o que gostamos e nos trazem boas lembranças, não vamos doar nada. O latino é muita emoção, ao contrário dos orientais!”. A dica é se desconectar completamente dos objetos e ser o mais racional possível — ou você acabará se tornando um acumulador, como na série do Discovery Home and Health.

2. Guarde apenas o que usa

Mais simples não fica: ainda usa? Guarde. Não usa? Doe.

O problema é que muitas desculpas aparecem no caminho do desapego: “talvez eu precise usar um dia”, “e se eu precisar amanhã?”, “paguei tão caro” são alguns dos exemplos dados por Juliana. Apague-os completamente da sua mente!

2-os-quatro-passos-definitivos-do-desapego

 (/)

3. Comece pelos lugares pequenos

Para fazer um desapego geral, não abra logo as portas do closet. Inicie o processo pela gaveta da mesinha de cabeceira, por exemplo. Se ela já está arrumada e seu problema são roupas, separe em categorias. Das meias, para as calças, para então partir para as blusas e casacos, que geralmente temos mais.

4. Siga esse checklist mental

Apesar de não existir uma técnica para desapegar, alguns exercícios mentais podem tornar o processo um pouco mais fácil. Quando tiver dificuldades, lembre-se:

  • Quando usou o item pela última vez?
  • Qual o real motivo do descarte: falta de espaço? Não consegue achar nada na bagunça?
  • Lembre que, após o desapego, você terá espaço de sobra para guardar o que realmente usa!
  • Os objetos tem uma função. Pense no estilo escandinavo: se existe, é porque pode ser usado. Aproveite essa máxima da tendência e descarte tudo que não cumpre uma missão.
  • Tenha em mente que alguém pode precisar de algo que está encostado no seu armário – esse pode ser um empurrãozinho altruísta para o desapego.
  • Não compre nada novo até desapegar. Para conquistar algo, temos que abrir mão de outra coisa!
04-produtos-praticos-para-closets-femininos

 (Divulgação/Casa.com.br)

Quando for difícil se desprender, volte para o começo do checklist e sempre pense duas vezes antes de decidir ficar com um objeto. Por fim, Juliana aconselha: “Pode ser um processo um pouco doloroso, mas depois de vivido, vai trazer alívio e a certeza de ter sobrevivido com a recompensa de mais espaço e missão cumprida”.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s